Prefeitos do ABC dizem que podem tomar medidas mais restritivas que fase amarela da quarentena de Doria

Ônibus no centro de Santo André

Segundo Consórcio Intermunicipal, cada gestor vai analisar as particularidades de sua cidade e decisão da equipe do governador será seguida. Frotas atuais de ônibus devem ser mantidas. Salões de beleza, comércios, bares e restaurantes terão mais limitações

ADAMO BAZANI

As cidades do ABC Paulista podem ter regras até mais rígidas que a fase Amarela do Plano São Paulo de quarenta.

Como mostrou o Diário do Transporte, o governador João Doria reclassificou todo o Estado para a fase amarela nesta segunda-feira, 30 de novembro de 2020, diante de um novo avanço da Covid-19.

Regiões como o ABC Paulista (Grande São Paulo), capital, Campinas e Baixada Santista estavam na fase verde e retrocederam.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/11/30/doria-muda-classificacao-das-cidades-para-a-fase-amarela-da-quarentena-em-todo-o-estado-de-sao-paulo/

Em nota na tarde, o Consórcio Intermunicipal ABC informou que os prefeitos da região vão seguir a determinação do Governador João Doria e que, dependendo da realidade de cada município, podem ser adotadas medidas mais severas.

Veja a nota oficial na íntegra:

O Governo do Estado de São Paulo anunciou, nesta segunda-feira (30/11), a reclassificação do Plano São Paulo, que trata da reabertura gradual da economia.

 Com a nova classificação, não apenas o Grande ABC, mas todo o Estado de São Paulo passou para a fase 3 – amarela (de flexibilização). Desde 10 de outubro, a região estava na fase 4 – verde (de abertura parcial), com menores restrições.

O prefeitos do Grande ABC se reuniram, em assembleia geral do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, e decidiram que vão seguir as medidas propostas pelo Governo do Estado. Cada prefeitura poderá, eventualmente, enrijecer as ações de prevenção conforme as peculiaridades de cada município.

 A próxima assembleia de prefeitos está marcada para a próxima segunda-feira (7/12), com o objetivo de analisar os próximos dados a serem anunciados pelo governo estadual.

As prefeituras do Grande ABC reiteram que a população deve continuar colaborando com o isolamento social e seguindo os protocolos de higiene, com o objetivo de reduzir a contaminação pelo novo coronavírus e evitar a sobrecarga no sistema de saúde nos municípios.

CIDADES SE ANTECIPARAM:

Antes mesmo da reclassificação feita pelo Doria, alguns prefeitos já adotaram  regras mais duras do que vinha sendo praticado.

Em São Bernardo do Campo, por exemplo, o prefeito Orlando Morando anunciou na sexta-feira, 27 de novembro de 2020, restrições de atividades econômicas, como horários e ocupações com redução para shoppings, lojas de rua, bares, restaurantes, salões de beleza e academias.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/11/27/audio-sao-bernardo-do-campo-tera-mais-restricoes-por-causa-da-covid-19-mas-frota-de-onibus-nao-muda-diz-orlando-morando/

TRANSPORTES:

Por enquanto, os prefeitos do ABC ainda não afirmaram que vão alterar escalas dos serviços de transportes que ainda não estão integrais, como em Santo André, por exemplo.

A região do ABC Paulista tem 2,8 milhões de habitantes e reúne as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

As empresas de ônibus municipais são:

Santo André: Viação Guaianazes, Viação Vaz, TCPN – Transportes Coletivos Parque das Nações, ETURSA – Empresa de Transporte Urbano e Rodoviário de Santo André, EUSA – Empresa Urbana Santo André, que formam o Consórcio União Santo André; e Suzantur que opera o sistema tronco-alimentado de Vila Luzita.

São Bernardo do Campo: BR7 Mobilidade.

São Caetano do Sul: Vipe – Viação Padre Eustáquio

Diadema: Mobibrasil e Suzantur

Mauá: Suzantur

Ribeirão Pires: Rigras Transportes Coletivos

Rio Grande da Serra: Viação Talismã:

Há também serviços metropolitanos que não são se competência dos prefeitos:

Linha 10 Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos): Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires, Mauá, Santo André, São Caetano do Sul e São Paulo.

Corredor ABD (ônibus e trólebus): Metra – Sistema Metropolitano de Transportes Ltda, entre São Mateus (zona Leste de São Paulo), Santo André, Mauá, São Bernardo do Campo, Diadema e Jabaquara (zona Sul de São Paulo) e entre Diadema e Brooklin (zona Sul de São Paulo).

Linhas EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos): Auto Viação ABC, Expresso SBC, EAOSA (Empresa Auto Ônibus Santo André), Mobibrasil, Publix (garagem em São Paulo, mas serve o ABC), Rigras Transportes Coletivos, Trans-bus, Urbana Santo André, Viação Imigrantes, Viação Ribeirão Pires, TCPN – Transportes Coletivos Parque das Nações, Viação Riacho Grande, Viação São Camilo, Viação Triângulo.

FASE AMARELA:

Na fase amarela do Plano São Paulo de quarentena, diversas atividades que estavam permitidas, voltam a passar por restrições, bem como os horários de funcionamento dos estabelecimentos que estarão autorizados a a abrir.

Por exemplo; bares, restaurantes e salões de beleza voltam a poder receber apenas 40% da capacidade e não mais 60% como era na fase verde

Eventos com o publico em pé voltam a ser proibidos.

Doria também diz que vai adotar medidas legais, acima das intervenções municipais, para combater festas e aglomerações.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Alessandro moraes disse:

    Esses prefeitos agem ao contrário de tudo, não vi nenhum deles apresentar planos para essas festas, pancadões que acontecem na cidade, esses sim dissiminan o vírus além da perturbação que incomoda muito,onde, o cidadão não consegue descansar pois não há controle nenhum das autoridades, em contraposição aos comércios que tomam todas as providências solicitadas pelas autoridades.

Deixe uma resposta para Alessandro moraes Cancelar resposta