Diário no Sul

CCR ViaSul recebe aprovação do Minfra para captação de investimentos em projeto de concessão de rodovias

Concessionária investiu na construção de praças de pedágio. Foto: CCR Via Sul

Concessionária administra 473,4 quilômetros em estradas federais no estado do Rio Grande do Sul

ALEXANDRE PELEGI

A Portaria nº 2.367 da Secretaria de Fomento e Parcerias do Ministério da Infraestrutura publicada nesta sexta-feira, 27 de novembro de 2020, aprovou para fins de emissão de debêntures incentivadas o projeto proposto pela Concessionária das Rodovias Integradas do Sul S.A. (CCR Via Sul) como integrante do programa de Parcerias de Investimentos – PPI.

As debêntures são uma forma de captação de financiamento no mercado utilizados por empresas quando os recursos internacionais estão escassos.

Denominado “Rodovias BR-101/RS, BR-116/RS, BR-290/RS e BR386/RS (compreendendo trechos da divisa SC/RS até Osório, de Porto Alegre até Camaquã e de Porto Alegre até Carazinho)”, o projeto tem por objeto a exploração da infraestrutura e da prestação do serviço público de recuperação, operação, manutenção, monitoração, conservação, implantação de melhorias, ampliação de capacidade e manutenção do nível de serviço dos trechos da BR101/290/386/448/RS, no trecho da BR-101/RS, entre a divisa SC/RS até o entroncamento com a BR-290 (Osório); da BR-290/RS, no entroncamento com a BR-101(A) (Osório) até o km 98,1; da BR-386, no entroncamento com a BR-285/377(B) (para Passo Fundo) até o entroncamento com a BR-470/116(A) (Canoas); e da BR-448, no entroncamento com a BR116/RS-118 até o entroncamento com a BR-290/116 (Porto Alegre), com extensão total de 473,4 km, no Estado do Rio Grande do Sul.

Passando por 36 cidades, os trechos estão sob a responsabilidade da concessionária desde 15 de fevereiro de 2019.

A concessão conta com 7 praças de pedágio (1 na BR 101, 2 na BR 290 e 4 na BR 386), 14 bases operacionais – sendo sete do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) –, equipes de resgate em UTIs Móveis, além de outros equipamentos convencionais de atendimento, como guinchos e veículos de inspeção. A CCR ViaSul faz, ainda, a operação do vão móvel da ponte do Guaíba, na BR 290 e do túnel Morro Alto, entre os kms 67 e 69 da BR 101, localizado no município de Maquiné (RS).

Entre as principais obras previstas em contrato estão a duplicação de 225 km de rodovias, além da recuperação do pavimento e da sinalização em todo o trecho.

A concessionária vai instalar iluminação ao longo de 172 km de rodovia, em áreas de travessia urbana, passarelas e em interseções. Além disso, a CCR ViaSul deverá implantar um amplo sistema de monitoramento da rodovia, com a instalação de mais de 1,1 mil câmeras, o que permitirá que não haja nenhum ponto cego ao longo dos 473 quilômetros concedidos.

O projeto autorizado a emitir debêntures consiste no reembolso de despesas efetuadas pela CCR Via Sul nos 24 meses anteriores à data de encerramento da oferta pública, referente ao Contrato de Concessão – Edital de Concessão nº 01/2018.

Dentre os investimentos realizados destacam-se os seguintes:

= recuperação de pavimento de mais de 1.000 km de faixas de rolamento;

= 6 mil metros de novas drenagens;

= 30.000 metros de defensas metálicas;

= nova sinalização horizontal e revitalização de sinalização vertical;

= desapropriação de áreas para obras;

= construção de praças de pedágio e bases de serviço de atendimento ao usuário; e

= aquisição de equipamentos.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta