Marcopolo confirma que vai testar ônibus elétrico em operação urbana de Caxias do Sul (RS)

Operação será em parceria com a Visate, mas modelos de chassi e carroceria ainda não foram definidos. Foto: Carlos Gabriel / Ônibus Brasil.

Fase de testes será no primeiro semestre de 2021

JESSICA MARQUES

A Marcopolo confirmou ao Diário do Transporte que vai testar um ônibus elétrico na operação urbana de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. A fase de testes será no primeiro semestre de 2021, segundo a fabricante de carrocerias.

A operação experimental será em parceria com a Visate, empresa de ônibus que opera na cidade. Entretanto, os modelos de chassi e carroceria ainda não foram definidos. Segundo a Marcopolo, os detalhes técnicos serão divulgados próximo ao lançamento do piloto, no ano que vem.

A proposta inicial seria de uma linha de reforço de 12 quilômetros de extensão entre o bairro de Ana Rech e a área central da cidade, passando pela Rodovia BR-116 e pelas ruas Pinheiro Machado, Feijó Júnior e Sinimbu. Entretanto, inicialmente os testes serão realizados em pista fechada e em condições controladas.

O objetivo é avaliar o desempenho do veículo na aplicação urbana, por meio da telemetria e de sistemas de controle, que serão instalados a fim de solidificar informações dos veículos em tempo real. O consumo de energia e performance dos sistemas de carregamento também serão medidos.

LABORATÓRIO

Os testes serão realizados por meio do Next Mobility Lab-Caxias, que será um laboratório de soluções de mobilidade implementado para abrigar diferentes pilotos e soluções. A viabilização dos projetos será feita por parcerias e novos modelos de negócios.

“A Marcopolo Next possui uma divisão focada no diagnóstico e redesenho dos sistemas de mobilidade, a Next Systems. Esta divisão tem atuado no formato de uma consultoria inicial às cidades, para posteriormente serem definidos os sistemas, modais e soluções mais adequados. Para avançar de forma ágil junto às cidades, no formato de Prova de Conceito (POC), criamos o Next Mobility Lab (Um laboratório de Mobilidade que ocorrerá dentro das cidades em bairros ou regiões específicas)”, informou a Marcopolo, em nota.

De acordo com a fabricante, em Caxias do Sul, a parceria envolverá a Prefeitura de Caxias do Sul e a Marcopolo Next, com foco na implantação deste laboratório de soluções de mobilidade. O início da atuação desta unidade será feito pela experimentação de sistemas elétricos. Neste caso, o piloto contará com a parceria da Engenharia Marcopolo, do operador e também de uma empresa de energia, com expertise na infraestrutura de carregamento.

Ainda segundo a Marcopolo, o Next Mobility Lab também se estenderá para outras cidades do Brasil e deverá contar com pilotos de Maas (Mobility as a Service), incluindo Bus on Demand, além de sistemas elétricos com diferentes parceiros de infraestrtura.

O início dos pilotos está previsto para meados de 2021. Além de testar novos sistemas, estes testes terão com o objetivo proporcionar a implementação de novos modelos de negócio em mobilidade, segundo a fabricante.

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO COM ÔNIBUS ELÉTRICO

A Marcopolo também informou ao Diário do Transporte que disponibilizará materiais, veículos e instalações que forem necessários para a implantação do projeto-piloto com o ônibus elétrico, além de monitorar o andamento do projeto e divulgar seus resultados.

Por sua vez, caberá ao operador utilizar os veículos na operação das linhas, conforme autorizado pelo Município de Caxias do Sul, e prover motoristas treinados e capacitados para o manejo dos mesmos, além de avaliar o desempenho dos veículos na operação e monitorar os mesmos.

Nesta parceria, será papel do município monitorar e avaliar o andamento do projeto, bem como definir e autorizar linhas utilizadas para os testes.

“As principais vantagens de um veículo com propulsão elétrica estão na redução da poluição sonora e zero emissões de GEE (Gases de Efeito Estufa), além do baixo custo de operação”, ressaltou a Marcopolo, também em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta