Prefeitura do Rio de Janeiro recebe denúncias, fiscaliza ônibus e multa empresas

Publicado em: 14 de outubro de 2020

Ao todo, 50 veículos foram inspecionados. Foto: Divulgação.

Ação teve como foco higienização e protocolos sanitários

JESSICA MARQUES

A Prefeitura do Rio de Janeiro recebeu denúncias de passageiros sobre o estado dos ônibus do transporte coletivo e realizou uma fiscalização. A ação, conduzida pela Secretaria Municipal de Transportes, foi realizada madrugada desta quarta-feira, 14 de outubro de 2020.

O foco da fiscalização foi o cumprimento dos protocolos sanitários, higienização e conservação dos ônibus. De acordo com a Prefeitura, os fiscais foram até as garagens das empresas Real Auto Ônibus, na Maré, e Transportes Vila Isabel, no Grajaú. Entre as linhas reclamadas pelos usuários devido à falta de higienização e má conservação dos ônibus estão a 460 (São Cristóvão x Leblon – via Túnel Rebouças) e a 432 (Vila Isabel x Leblon – via Túnel Santa Bárbara), operadas pelas empresas em questão.

Na garagem da Real, 30 ônibus foram vistoriados. Ao todo, 51 multas foram aplicadas na garagem, sendo 24 por vistoria vencida, 24 por falha ou inoperância do dispositivo de acessibilidade, e três por apresentar bancos soltos e rasgados.

Segundo a Prefeitura, todos tinham adesivos no piso, indicando a posição recomendada pelos órgãos de saúde para que os passageiros possam viajar em pé no corredor, conforme a Portaria SMTR nº 3, de 29 de junho. Os fiscais também observaram que todos os motoristas estavam utilizando máscara, cumprindo o Decreto 47375, de 18 de abril. Quanto à dedetização, todos os certificados verificados estavam em dia.

Na garagem da Transportes Vila Isabel, os protocolos sanitários, como os adesivos no piso e o uso de máscara pelos motoristas, também estavam dentro do padrão nos 20 ônibus inspecionados, segundo a Prefeitura. Porém, 27 multas foram registradas, sendo 20 por falta de certificado de dedetização, cinco por falta de selo de vistoria e duas por inoperância do equipamento de acessibilidade. Sete veículos foram lacrados.

“De acordo com a Resolução Conjunta entre as secretarias municipais de Saúde e de Transportes, publicada no Diário Oficial de 25 de junho, é de responsabilidade dos operadores realizar a higienização e a desinfecção diária dos veículos, mantendo as superfícies de maior contato sempre limpas, a fim de preservar a saúde dos passageiros e dos próprios motoristas, especialmente neste momento de retomada das atividades na cidade”, informou a Prefeitura, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta