Criminosos vandalizam estação Olof Palme do BRT Rio e levam 800 metros de cabos elétricos

Publicado em: 12 de outubro de 2020

Criminosos arrombaram a bilheteria e levaram fios, disjuntores e o bebedouro do local. Foto: Divulgação.

Outras duas estações do sistema também foram alvo de criminosos no feriado prolongado

JESSICA MARQUES

A estação Olof Palme, no corredor Transolímpica do BRT do Rio de Janeiro, foi depredada e furtada na madrugada desta segunda-feira, 12 de outubro de 2020.

De acordo com informações do Consórcio BRT Rio, os criminosos arrombaram a bilheteria e levaram fios, disjuntores e o bebedouro do local. Além disso, foram furtados 800 metros de cabos elétricos, comprometendo iluminação, catracas e portas.

Neste domingo, 11, a estação Centro Metropolitano, no corredor Transcarioca, foi alvo de criminosos, que levaram os circuitos de iluminação e de portas. Recentemente, o local havia passado por obras no sistema de iluminação, segundo o BRT Rio.

No sábado, foram furtados cabos elétricos da estação Boiúna, no corredor Transolímpica.

Desde abril, cerca de 100 estações foram vandalizadas e/ou tiveram seus equipamentos furtados. Atualmente, o BRT Rio tem um total de 32 estações fechadas por conta de crimes como esses, conforme informado em nota.

PRISÃO POR FURTO

Acionados na madrugada de sábado, 10, pela equipe de monitoramento do Centro de Controle Operacional do BRT Rio, policiais militares do Proeis (Programa Estadual de Integração de Segurança) prenderam dois homens furtando equipamento da estação Ilha Pura, no corredor Transolímpica.

De acordo com o BRT Rio, os suspeitos foram levados para a 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca). No início da semana passada, um outro homem, que agia com a dupla, havia sido detido. Os três são suspeitos de praticar furtos em várias estações do corredor Transolímpica do BRT, ainda segundo o consórcio.

“Neste ano, 74 pessoas foram presas pelos agentes do Proeis em estações dos três corredores do BRT Rio. Furtos de cabos elétricos e equipamentos (televisores, bebedouros, ar condicionado e catracas) representam a maior parte das detenções”, informou o BRT Rio, também em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. É a tendencia, Rio, SP e demais locais, materiais que viram dinheiro, e tem que buscar ferros velhos que recebem esse material…fiscalizar aleatóriamente,,,,trabalharem que é bom, nada…

Deixe uma resposta