Vigilantes da CPTM são agredidos por grupo de ambulantes e encaminhados ao Pronto Socorro

Publicado em: 8 de outubro de 2020

Criminosos foram encaminhados à Delegacia de Polícia do Metropolitano. Foto: Reprodução / Viva ABC.

Ocorrência foi registrada na Estação Ipiranga da Linha 10-Turquesa

JESSICA MARQUES

Dois vigilantes da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) foram agredidos por um grupo de ambulantes. A ocorrência foi registrada na manhã desta quinta-feira, 08 de outubro de 2020, na Estação Ipiranga da Linha 10-Turquesa, que liga o ABC à capital paulista.

Segundo a CPTM, a equipe de segurança apreendeu mercadorias de um ambulante que comercializava produtos ilegalmente. Ele retornou ao local por volta de 12h10 com um grupo de outros ambulantes e agrediram vigilantes da estação.

Ainda segundo a companhia, passageiros auxiliaram as vítimas. Dois vigilantes foram socorridos ao Pronto Socorro Ipiranga, com ferimentos generalizados e um dos agressores, com ferimentos leves, foi conduzido ao Pronto Socorro da Barra Funda.

A CPTM informou também que os criminosos fugiram e se dispersaram, mas foram posteriormente localizados em outras estações da CPTM. Todos foram encaminhados à Delpom (Delegacia de Polícia do Metropolitano).

“O comércio ambulante não ė permitido nos trens e estações da CPTM. A atuação da Companhia está respaldada no Decreto Federal 1832, de 04/03/1996, que regulamenta o transporte ferroviário. A prática é combatida, principalmente, pelo fato dos produtos comercializados não terem procedência conhecida e, por isso, podem estar associados a crimes como contrabando, roubo de cargas, furtos e roubos, por exemplo”, informou a CPTM, em nota.

“A CPTM continuará combatendo o comércio irregular nas suas dependências. E conta com a colaboração de todos os passageiros para enfrentar o comércio irregular, não incentivando a prática e denunciando nos canais diretos da CPTM”, considerou também a companhia.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. JOSÉ LUIZ VILLAR COEDO disse:

    É verdade que a situação do Brasil JÁ estava ruim antes da PESTE de COVID19 chegar aqui… que todos tem que defender o PÃO DE CADA DIA! Mas … essas atitudes desses caras ai…Extrapolam ! Os Vigilantes da CPTM E METRÔ E ETC. … Tem que coibir mesmo e proibir! E se forem agredidos, tem que se defender e descer a borrachada nesses figurinhas ai!

  2. RodrigoZika disse:

    Piro que os caras agem como se fosse legais e exigem direitos inexistentes, só que são vigilantes fracos que contratam, sem ser um porte que seja correto para o que fazem olha a diferença dos que colocam na Via 4 privada, vergonha.

    1. Wesley Araujo disse:

      Não é questão de serem vigilantes fracos. Eles não têm poder de polícia, pouco podem fazer. Não deveria haver segurança terceirizada na CPTM. Todos deveriam ser Policiais Ferroviários Federais, como manda a Lei. Aí seriam outros 500…

  3. Má educação, e essa agressão é fruto do ódio de ter nascido sem pai presente, sem casa morando em barraco, e se achando com direito…passei por isso na Mooca ao manusear uma câmera, (acharam que eu tava filmando eles), um dia, fui cercado, mas graças aos seguranças eles foram embora,,,atacam em bando pra intimidar mesmo.

  4. Mariana Tratoria Spectaculare disse:

    Vai lá , gente! Compra as bugigangas desses bandidos, compra!

    1. Cliente Google disse:

      Claro que continuarei comprando orra.

  5. Alfredo disse:

    Borrachada no lombo destes bardeneiros, agem como uma gangue, não respeitam ninguém, gritando, enchendo o saco e vendendo pelo mesmo preço do comércio regular, cadeia e fiança de no mínimo 1000 reais, dobrando na reincidência, e que a Globo para de tratar o assunto como se Eles fossem coitadinhos

Deixe uma resposta