Ação da ANTT combate transporte clandestino e aliciamento de passageiros na Região Metropolitana de Recife

Publicado em: 2 de outubro de 2020

Foto da operação (ANTT)

Ação conjunta com o Batalhão de Policiamento Rodoviário – BPRV/PMPE, Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipais – EPTI e Polícia Civil ocorreu nessa sexta, 02, na cidade de Abreu e Lima

ALEXANDRE PELEGI

A Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT realizou uma ação conjunta nessa sexta-feira, 02 de outubro de 2020, para combater o transporte clandestino e o aliciamento de passageiros na cidade de Abreu e Lima, na Região Metropolitana de Recife.

A operação teve a participação do Batalhão de Policiamento Rodoviário – BPRV/PMPE, Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipais – EPTI e da Polícia Civil.

Até o momento, no início da tarde, a Agência flagrou dois veículos realizando o transporte clandestino de passageiros.

Um dos condutores autuados foi flagrado pela PM portando um aparelho celular com queixa de roubo. Uma das quatro pessoas identificadas como aliciadores de passageiros estava em liberdade provisória.

A ANTT já apreendeu, somente em 2020, 820 veiculos. Os fiscais lavraram 1867 multas, gerando 10 milhões de reais de prejuízo aos transportadores clandestinos, sendo devolvidos 25 mil passageiros ao transporte regular.

Os dois veículos apreendidos nesta tarde em Recife foram encaminhados ao depósito.

As empresas autuadas deverão comprovar o pagamento de passagens dos passageiros que transportavam em companhias regulares para dar continuidade às viagens.

Os quatro aliciadores foram encaminhados à Central de Plantão da Polícia Civil em Paulista, onde será lavrado o Termo Circunstanciado de Ocorrência.

Segundo a ANTT, o transporte clandestino interestadual remunerado de passageiros é enquadrado na Resolução nº 4.287/14 que prevê apreensão por no mínimo 72 horas e multa no valor de R$ 7.600,00. Na esfera penal , este ato é considerado um crime de menor potencial, enquadrado no Art. 47 da Lei das Contravenções Penais, e prevê pena de reclusão de 15 dias a três meses ou multa.

A ANTT destaca que, geralmente, os veículos que realizam esse tipo de transporte clandestino de passageiros apresentam graves problemas de segurança, como pneus carecas, para brisas trincados, condutores não habilitados e que trafegam em alta velocidade para fugir da fiscalização, o que coloca em risco a vida de todos na rodovia, principalmente, dos passageiros quem ainda insiste em utilizar esse tipo de transporte”.

FOTOS DA OPERAÇÃO ENVIADAS PELA ANTT

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta