Campinas libera trecho do Corredor BRT Campo Grande

Publicado em: 1 de outubro de 2020

Extensão liberada possui dez faixas de rolamento no total. Foto: Divulgação / Emdec.

Sistema convencional de transporte público já opera nas faixas exclusivas e pistas expressas, construídas sob um novo complexo de viadutos

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Campinas, no interior de São Paulo, liberou nesta quinta-feira, 1º de outubro de 2020, um trecho de um quilômetro do Corredor BRT Campo Grande, na região do Jardim Aurélia.

O trecho liberado fica na Avenida John Boyd Dunlop e abrange desde a altura da Avenida Império do Sol Nascente até o Viaduto da Rodovia Anhanguera (SP-330).

De acordo com a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), o sistema convencional de transporte público já opera nas faixas exclusivas e as pistas expressas, construídas sob um novo complexo de viadutos. As vias também estão liberadas para a circulação do tráfego em geral.

Com a liberação, sete linhas de ônibus do sistema convencional de transporte público passaram a trafegar no Corredor BRT. São elas: 210, 212, 221, 222, 223, 224 e 229.

Juntos, os itinerários transportam cerca de 42 mil passageiros por dia. Dois pontos de ônibus provisórios foram implantados no corredor, na altura do Shopping Unimart, para atender aos usuários destas linhas.

Além disso, outras oito linhas de ônibus seguem trafegando nas marginais da Avenida JBD: 116, 134, 211, 230, 231, 240, 241 e 249. Juntas, elas transportam cerca de 40 mil passageiros por dia.

Os pontos de ônibus existentes nas marginais, na altura do Shopping Unimart, não foram alterados. O trecho conta ainda com a estação BRT Jardim Aurélia, que será ativada futuramente.

ESTRUTURA

A extensão liberada possui dez faixas de rolamento no total. São quatro faixas (duas por sentido) nas pistas expressas e quatro faixas (duas por sentido) nas marginais, destinadas ao tráfego em geral. E duas faixas exclusivas para o sistema de transporte público coletivo (uma por sentido), junto ao canteiro central.

Ainda segundo a Emdec, as faixas exclusivas são feitas em pavimento de concreto, mais resistentes ao fluxo intenso de veículos. As faixas dedicadas ao tráfego em geral, nas marginais, receberam requalificação asfáltica. A iluminação dos corredores é em LED, com a fiação subterrânea.

“A região recebeu nova sinalização viária; tanto vertical (placas), como horizontal (solo). O canteiro central recebeu paisagismo (implantação de grama) e foram instalados novos conjuntos semafóricos. A velocidade máxima permitida é de 50 km/h ao longo do trecho liberado; e é reduzida para 40 km/h nos pontos que permanecem em obras”, detalhou a Emdec, em nota.

“As obras incluíram escavações para rebaixamento do eixo das pistas expressas existentes. Com isso, o tráfego de veículos nas faixas expressas e nas faixas exclusivas ocorre nas passagens inferiores, construídas sob a Avenida JBD”, informou também.

VIADUTOS

O trecho liberado inclui o primeiro complexo de viadutos do BRT totalmente ativado, localizado entre as avenidas José Pancetti e Antônio Carvalho Miranda. A alça que permite a transposição no sentido Jardim Miranda – Jardim Aurélia foi liberada para circulação nesta quarta-feira, 30 de setembro de 2020. Por sua vez, a alça que viabiliza a transposição no sentido oposto foi ativada em dezembro de 2019, incluindo a travessia de pedestres.

O complexo é formado por dois viadutos e elimina um ponto de cruzamento em nível. Cada viaduto é formado por vias superiores, com 28 metros de vão total; e vias inferiores, com duas pistas de sete metros de extensão e cerca de seis metros de altura.

BRT CAMPO GRANDE

Segundo a Prefeitura, esta é a nona liberação de trechos dos Corredores BRT no município, totalizando quase 16 quilômetros. O trecho liberado integra o Lote 2 do BRT de Campinas e é parte do trecho 2 do Corredor Campo Grande. O trecho 2 vai da Vila Aurocan até o viaduto sobre a Rodovia dos Bandeirantes, com 5 quilômetros de extensão. A responsável pela execução das obras é a empresa Construcap – CCPS Engenharia e Comércio.

Ao todo, o BRT Campo Grande terá 17,9 quilômetros, saindo da região central, ao lado do Terminal Mercado, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida JBD, passando pelo Terminal Campo Grande e chegando ao Terminal Itajaí. Juntos, os três corredores BRT do município – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – somam 36,6 quilômetros de extensão, também segundo a Prefeitura.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Ismael Junior disse:

    Caramba. Em pensar que o local da foto era uma simples avenida com apenas duas faixas em cada sentido… Isso mostra que quando os governantes REALMENTE querem fazer algo eles fazem…

Deixe uma resposta