Governador do Espírito Santo apresenta funcionalidade que aponta o nível de lotação dos veículos do transporte coletivo da Grande Vitória

Publicado em: 30 de setembro de 2020

Funcionalidade foi apresentada em Live pelo Governador Renato Casagrande. Foto: Divulgação

Sistema de cores, que indica situação da lotação dos ônibus antes do embarque, integra aplicativo ÔnibusGV

ALEXANDRE PELEGI

O governador Renato Casagrande, ao lado do Secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Ney Damasceno, lançou em live na tarde dessa quarta-feira, 30 de setembro de 2020, o INBUS, função para o aplicativo ÔnibusGV que permite ao usuário conferir previamente a lotação do veículo que está esperando no ponto de embarque.

O presidente da Companhia Estadual de Transporte de Passageiros (Ceturb-ES) também participou do encontro.

O sistema está sendo implantado nos coletivos do Sistema Transcol, que atende o transporte coletivo da Grande Vitória. No primeiro mês, serão 25 veículos com o sistema, e até o final do ano serão 600 contemplados com o serviço, o que representa a frota das linhas troncais.

O Governado informou que até julho de 2021 o sistema estará implantado em 100% dos coletivos do Sistema Transcol.

Para acessar a nova funcionalidade, é preciso atualizar o aplicativo Ônibus GV.

O aplicativo da empresa GeoControl, lançado em maio de 2019, é a ferramenta oficial do Sistema Transcol e que conecta o usuário ao transporte público. Além da previsão de horário para os veículos do Transcol e os que fazem as linhas municipais de Vitória, o aplicativo permite que o usuário acesse a rede wi-fi durante a viagem, além de uma plataforma de entretenimento, a primeira do tipo em ônibus urbano no País.

A pesquisa do ponto de embarque pode ser realizada de forma textual, por meio de navegação via mapa ou pelo GPS do usuário.

Para o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, a implantação do sistema acontece em um momento em que esse tipo de tecnologia se tornou fundamental.

Estamos desde março desenvolvendo ações para manter o transporte público em operação e reduzir o risco de disseminação do novo Coronavírus no Transcol. E logo no início percebemos que uma ferramenta inovadora deste tipo faria diferença quando chegasse o momento da ampla retomada das atividades. Após alguns meses de desenvolvimento junto com os consórcios operadores, conseguimos iniciar a implantação do sistema”, destacou o secretário.

Para Raphael Trés, diretor-presidente da Ceturb-ES, a nova função do aplicativo ÔnibusGV vai dar mais eficiência ao sistema e vai otimizar a programação das linhas e as intervenções operacionais para a melhoria da qualidade do serviço.

Já o governador Casagrande destacou os passos que o Espirito Santo está dando em direção à inovação que, segundo ele, “leva mais dignidade ao usuário”.

Ele fez questão de citar o Serviço Especial Mão na Roda, cujas novidades foram apresentadas nesta terça-feira, 29. Relembre: Governo do Espírito Santo divulga novo portal de atendimento para Serviço Mão na Roda

O presidente da União Internacional dos Transportes Públicos da América Latina, Jurandir Fernandes, participou virtualmente do lançamento e destacou a importância da implantação da tecnologia.

COMO FUNCIONA

Uma câmera integrada ao computador de bordo fará a captação de imagens no interior do coletivo. A partir da análise de um software, o coletivo ganhará classificação de baixa lotação (verde); média lotação (amarelo); lotado (vermelho). Essa informação ficará disponível para o usuário por meio do aplicativo ÔnibusGV, durante a consulta da previsão de horários.

O usuário poderá, então, clicar no ícone correspondente a lotação no aplicativo para visualizar a imagem do interior do coletivo, em tempo real, avaliando se é possível embarcar e manter distanciamento recomendável no transporte público e/ou se sente seguro para fazer o embarque.

Outra possibilidade do sistema vai otimizar a gestão da frota, já que será possível coletar informações não só de quais são as linhas mais carregadas, mas também em quais trechos, pontos e horários estão mais carregados, tornando o ajuste operacional mais dinâmico. Para realizar este tipo de levantamento atualmente, é preciso utilizar fiscais em campo para anotar e compilar os dados, que a partir de agora passarão a ser automáticos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta