MAN e Scania: Novos ônibus elétricos e cortes de quase 15 mil empregos previstos

Publicado em: 23 de setembro de 2020

MAN já possui modelos de ônibus elétricos e deve renovar linha

Na Assembleia anual do Grupo TRATON, também foi anunciado que Brasil deve ter linha completa de eletrificação nos transportes

ADAMO BAZANI

O Grupo TRATON anunciou nesta quarta-feira, 23 de setembro de 2020, em assembleia Geral Anual, que até o fim deste ano, as marcas Scania e MAN devem lançar novas linhas de produção de ônibus elétricos.

A assembleia foi virtual.

As linhas de produção fazem parte dos investimentos de € 1 bilhão (um bilhão de euros) do Grupo TRATON previstos até 2025 em eletrificação dos veículos de transportes coletivos e de cargas.

Recentemente, a Scania apresentou novos modelos de veículos comerciais produzidos em série para áreas urbanas. Entre as tecnologias, está uma híbrida plug-in que pode garantir 60 quilômetros com uma única carga e uma autonomia de até 250 quilômetros com carga completa nas baterias.

Na assembleia também foi destacado que a Volkswagen Caminhões e Ônibus está trabalhando com parceiros no Brasil para desenvolver uma rede completa de veículos comerciais elétricos – da infraestrutura de fabricação e carregamento à gestão do ciclo de vida das baterias.

O intuito é oferecer aos frotistas não só o ônibus e o caminhão, mas toda a estrutura para operá-los.

O CEO da TRATON SE, Matthias Gründler, disse na mesma assembleia, de acordo com a imprensa alemã, que os membros das diretorias terão maior responsabilidade pela lucratividade geral do grupo e que cada uma das marcas deve ter ampliada a autonomia para estratégias de negócios.

O Grupo TRATON engloba as marcas de tecnologia RIO e de produção de veículos pesados Scania, MAN e Volkswagen Caminhões & Ônibus.

EMPREGOS:

Ainda de acordo com a imprensa alemã, o Grupo planeja fazer uma grande reestruturação para enxugar estruturas e custos.

Entre as medidas que podem ser adotadas é o corte de vagas de emprego em todas as plantas que integram a TARTON. Ao todo, podem ser extintas quase 15 mil vagas em todo o mundo.

A MAN quer cortar 9.500 empregos – cada quarto dos 36.000 em todo o mundo. A Scania planeja cortar 5.000 empregos. A MAN teve um prejuízo operacional de 387 milhões de euros no primeiro semestre do ano, o grupo Traton um total de 220 milhões de euros.

O clima do setor “ainda está muito longe de uma recuperação sustentável”, disse Gründler na assembleia.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta