Motoboys terão capacitação profissional, linhas de crédito e regularização de documentos em São Paulo

Publicado em: 21 de setembro de 2020

Motoboy faz conversão próxima a região de corredor de ônibus na zona Sul de São Paulo

Anúncio é do governador João Doria em entrevista coletiva. Cursos serão financiados por multas e linhas de crédito são para formais e informais

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

Os motoboys no Estado de São Paulo vão contar com linhas de crédito para compra de novas motocicletas e reforma das usadas, além de aquisição de equipamentos de segurança.

Os profissionais ainda vão contar com cursos de qualificação profissional com noções de segurança.

O Detran de São Paulo, por sua vez, deve realizar atendimentos preferenciais para regularização de documentos, como emissão de CNH – Carteira Nacional de Habilitação, para os motofretistas.

O anúncio foi feito no início da tarde desta segunda-feira, 21 de setembro de 2020, pelo governador João Doria.

“Com a pandemia, a atuação dos motofretistas cresceu muito e mais pessoas têm se dedicado a esta profissão. Mas nos preocupa o fato de também terem crescido os acidentes entre estes profissionais. Essa é uma categoria que cresceu e ganhou mais respeitabilidade da população e motoristas” – disse Doria.

LINHAS DE CRÉDITO:

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, anunciou na entrevista coletiva que serão diferentes linhas de crédito pelo Banco do Povo do Estado de São Paulo.

Um das linhas é para os motofretistas informais. O limite de crédito para reformas de motocicletas e compra de equipamentos será de R$ 3 mil. A taxa de juros é de 1% ao ano, com prazo de um ano para pagar e carência de 60 dias. Já para a compra de motos novas, o prazo para pagar será de dois anos e a carência, de 90 dias.

Outra linha é para profissionais formais, registrados como MEI – Microempreendedor Individual. As taxas de juros variam entre 0,35% e 0,7% com limite de crédito por R$ 8,1 mil.

CURSOS E ACIDENTES:

Já o presidente do Detran de São Paulo, Ernesto Mascellani Neto, afirmou que os cursos de qualificação serão gratuitos aos motofretistas. O custeio destes cursos será pelo dinheiro obtido pelas multas.

Seguindo Neto, em torno de 35% dos óbitos no trânsito do Estado de São Paulo são de motociclistas, mas as motocicletas representam 25% de todos os veículos que circulam.

O total de acidentes envolvendo motos é proporcionalmente quatro vezes maior que nos carros.

Como participar

em nota, o Governo do Estado diz que os motofretistas que precisam regularizar a situação da CNH devem se inscrever no site

www.motofretistaseguro.sp.gov.br  e ingressar no curso de formação desenvolvido pelo Detran.SP. Também é preciso cumprir alguns requisitos, como idade mínima de 21 anos, ter CNH e exercer atividade remunerada.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta