Trabalhadores iniciam greve de ônibus municipais em Campos do Jordão (SP)

Publicado em: 15 de setembro de 2020

Funcionários cruzaram os braços nesta terça-feira. Foto: Divulgação / Sindicato dos motoristas.

Ainda não há previsão para retorno da operação

JESSICA MARQUES

Os trabalhadores da empresa Viação na Montanha iniciaram uma greve de ônibus no transporte municipal de Campos do Jordão, no interior paulista. Os funcionários cruzaram os braços na manhã desta terça-feira, 15 de setembro de 2020.

De acordo com informações da mídia local, ainda não há previsão para retorno da operação. O sindicato que representa os motoristas informou que a greve ocorre porque os funcionários estão há quase seis meses sem receber salário.

Por sua vez, a Prefeitura de Campos do Jordão informou que se surpreendeu com a paralisação dos serviços do transporte coletivo. Além disso, informou que já pagou todos os compromissos para a empresa.

“É lamentável que isso ocorra, visto que a Prefeitura em todos esses anos vem cumprindo rigorosamente seus compromissos e já pagou, nos dias 31 de julho e 28 de agosto, as duas parcelas do auxílio emergencial autorizado pela Câmara Municipal, no valor total de R$ 412 mil”, diz a nota da Prefeitura.

Relembre: Vereadores de Campos do Jordão aprovam socorro de R$ 412 mil para manutenção do transporte coletivo

“O auxílio visava, justamente, evitar esta situação, mantendo os empregos e os pagamentos de salários, diante da Pandemia do novo Coronavírus, que fez com que o volume de passageiros transportados caísse em 90% do habitual”, informa também a administração municipal.

INTERVENÇÃO

A Prefeitura também afirma que notificou a empresa. O município agora aguarda a resolução das negociações com os trabalhadores, mas poderá tomar medidas judiciais, inclusive uma intervenção no serviço, caso a greve continue por falta de pagamento de salários.

“O Poder Público lembra, ainda, que a há uma decisão judicial que impede a paralisação do transporte público, em Campos do Jordão, uma vez que se trata de um serviço essencial, o que torna a atual paralisação ilegal”.

O Diário do Transporte aguarda um posicionamento da empresa Viação na Montanha sobre a paralisação.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta