Caixa Econômica Federal aprova projeto executivo de recuperação Ponte dos Barreiros, em São Vicente

Publicado em: 15 de setembro de 2020

Primeira fase das obras foi concluída em junho. Foto: Divulgação / Prefeitura de São Vicente.

Edital será lançado em cerca de 10 dias, segundo a Prefeitura

JESSICA MARQUES

A Caixa Econômica Federal aprovou o projeto executivo para a segunda fase da reforma geral da Ponte dos Barreiros, em São Vicente, no Litoral Paulista.

De acordo com a Prefeitura, o edital será lançado em cerca de 10 dias. A licitação pública terá como objetivo definir a empresa responsável pela realização das obras na estrutura.

Em nota ao Diário do Transporte, a Prefeitura informou ainda que, nos últimos 45 dias, a Caixa avaliou toda a documentação, incluindo o projeto executivo, orçamento da obra, manual descritivo e o cronograma.

PESO NA PONTE

O projeto executivo prevê a recuperação de 266 estacas, vigas e de todo o pavimento da ponte. Além disso, segundo a Prefeitura, a reforma geral da estrutura prevê a adição de novas armaduras.

Assim, a Ponte dos Barreiros vai passar a suportar uma carga de 45 toneladas. Quando foi construída, a capacidade era estimada em 36 toneladas, segundo a Prefeitura. Contudo, com o tempo a estrutura se degradou e passou a suportar apenas 24 toneladas.

OBRAS

A Prefeitura informou também que, durante a troca de aparelhos de apoio e juntas de dilatação, serão feitas paralisações pontuais. Entretanto, o município informou que o trânsito não será comprometido.

A primeira fase das obras foi concluída em junho de 2020. Na ocasião, foram  recuperadas 52 estacas, uma longarina e três travessas. As intervenções foram realizadas pela Terracom.

HISTÓRICO

A Ponte Jornal A Tribuna, conhecida como Ponte dos Barreiros, foi fechada para o tráfego de veículos em 30 de novembro de 2019, por determinação da Justiça, que atendeu à solicitação do Ministério Público.

Em dezembro de 2019, o Governo Federal anunciou que faria o investimento necessário para a recuperação da estrutura. Três meses depois, em março, a Caixa Econômica Federal (CEF) autorizou a liberação dos recursos.

As obras foram divididas em duas fases, sendo a primeira em caráter emergencial, no valor de R$ 5.767.831,91 (já concluída). A segunda, no valor de R$ 51.064.668,68, contempla a recuperação das demais estacas e reforma geral da ponte.

A Terracom, empresa que ficou responsável pela execução do projeto da primeira fase, iniciou as obras em abril. Elas foram concluídas no dia 6 de junho, com a recuperação de 52 estacas que apresentavam maior desgaste, uma longarina (vigas longitudinais ou principais) de um dos tabuleiros e três travessas.

Por sua vez, no dia 16, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, esteve em São Vicente para a assinatura do Termo de Liberação de Recurso, garantindo o pagamento da primeira parcela da verba.

Confira as fases das obras, de acordo com a Prefeitura:

Primeira fase

Na primeira fase, que ficou a cargo da empresa Terracom, foram recuperadas 52 estacas, uma longarina e três travessas. O serviço foi finalizado 15 dias antes do prazo previsto. Isso possibilitou a antecipação da reabertura para o tráfego de veículos leves, mediante aprovação, por meio do laudo técnico, do IPT, e da autorização da Justiça.

De acordo com a Prefeitura, em seu parecer, o IPT considerou válidos os documentos apresentados, por atender às normas técnicas e aos procedimentos adotados para elaboração, sobretudo do projeto executivo com análise e simulações utilizando-se de parâmetros compatíveis com o tipo de estrutura.

O instituto teria informado, ainda, que os relatórios e resultados de análises laboratoriais dos materiais empregados “foram considerados coerentes com os procedimentos normatizados”.

Quanto à qualidade técnica do reforço executado (execução das obras), o laudo apontou que “não foram observadas anomalias construtivas, e apresentam aspecto normal para esse tipo de obra civil”.

Com isso, o IPT considerou que a Ponte Jornal A Tribuna está apta a receber o tráfego de veículos de até dois eixos, com peso bruto total de até oito toneladas por eixo e com velocidade limite de 40 km/hora, em toda sua extensão de 623 metros, nas duas faixas de tráfego, nos dois sentidos.

Segunda fase

Com a primeira fase de obras finalizada, a Prefeitura agora segue para iniciar a execução da segunda, conforme Pedro Gouvêa. O projeto executivo necessário para a próxima etapa já está 98% concluído, em breve será publicado o edital para definir a empresa responsável pela obra, que tem como objetivo garantir a recuperação de 100% da ponte.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta