DF tem novos terminais rodoviários para seis regiões administrativas

Publicado em: 12 de setembro de 2020

Obras facilitarão a vida de cerca de 275 mil pessoas, e ainda a geração de 760 empregos diretos e indiretos

ALEXANDRE PELEGI

O Governo do Distrito Federal (GDF) tem uma série de projetos destinados à melhoraria da mobilidade urbana na capital.

Comunicado da Agência Brasília cita as construções de cinco novos terminais rodoviários e a reforma completa do terminal Gama Centro, este já está com o edital de licitação em análise.

Dos cinco novos terminais, o de Santa Maria já começou a construção. Os projetos dos terminais restantes – Arapoanga, Itapoã, Sol Nascente e Varjão – estão em fase final de elaboração, mas com previsão de início das obras ainda em 2020.

O GDF garante que todas essas obras proporcionarão cerca de 760 empregos, entre diretos e indiretos.

Nas obras de Sol Nascente/Pôr do Sol, Gama, Itapoã e Arapoanga a estimativa é criar 140 vagas. Já Varjão e Santa Maria devem gerar, respectivamente, 80 e 120 empregos diretos e indiretos.

A Agência Brasília informa que foram investidos mais de R$ 14 milhões na construção de quatro dos seis terminais, a saber: Santa Maria (R$ 4,8 milhões), Gama (R$ 4,6 milhões), Itapoã (R$ 3,9 milhões) e Varjão (959 mil).

Os seis novos terminais beneficiarão cerca de 275 mil moradores das regiões administrativas.

As obras são adequadas a todas as regras de acessibilidade e garantem mais segurança e conforto para os usuários do transporte coletivo.

Valter Casimiro, secretário de Transporte e Mobilidade, afirma que  essas obras são importantes e, em conjunto com outros projetos que estão sendo desenvolvidos pela secretaria [de Transporte e Mobilidade], irão melhorar o transporte coletivo no Distrito Federal e assim dar opção ao usuário de deixar o seu carro em casa e usar o transporte público.

Situação de cada projeto dos terminais rodoviários, segundo a Secretaria de Transporte e Mobilidade:

Obra chega aos 30% em Santa Maria

A construção do terminal rodoviário de Santa Maria teve início em março deste ano e está com 30% do cronograma executados. É a concretização de um antigo sonho dos usuários do transporte público coletivo da cidade.

O terminal vai beneficiar os mais de 120 mil moradores de Santa Maria, devendo ser um novo polo de desenvolvimento no local. A estrutura é construída em terreno com área total de 16.015,43 metros quadrados, na Quadra 401, onde antes era o estacionamento do ponto final dos ônibus.

A Rodoviária de Santa Maria será ponto de partida de 14 linhas de ônibus circulares e linhas alimentadoras do BRT. Pelo local passam pelo menos 72 ônibus que fazem 419 viagens de segunda a sexta-feira, 332 aos sábados e 193 aos domingos. O novo terminal também poderá ser utilizado para fazer a integração com as linhas do semiurbano do Entorno do Distrito Federal.

O terminal terá plataformas com dez boxes para embarque e desembarque, além de 53 vagas para estacionamento de ônibus na fila de espera. O estacionamento público contará com 60 vagas para veículos e 25 vagas para motos, além de um módulo paraciclo com 70 metros quadrados. Também serão construídos dois banheiros públicos com acessibilidade e o espaço para uma lanchonete.

O GDF está investindo R$ 4,8 milhões na construção, cuja conclusão é esperada para 2021.

Licitações em andamento

Outros dois terminais com licitação em andamento serão construídos no Varjão e no Itapoã. As cidades não contam com estruturas rodoviárias adequadas e isso passou a ser uma reivindicação constante da população.

O Terminal Rodoviário do Varjão será erguido em um terreno de 1,4 mil metros quadrados, localizado no Lote 1, Conjunto H, Quadra 10.

Atualmente, os passageiros da região e os colaboradores do sistema fazem uso de um ponto de soltura (ponto final) informal e sem a infraestrutura adequada. O novo espaço vai oferecer mais conforto e beneficiará os quase 8 mil moradores da cidade.

O novo terminal contará com salas administrativas, lanchonete, banheiros adaptados com acessibilidade, paraciclos e sete pontos de estocagem. Atualmente, quatro linhas passam pelo local com 164 viagens nos dias úteis, cem aos sábados e 72 aos domingos. Além das linhas que operam na região, a linha 141.7, que atende a Paranoá e Itapoã, também passará pelo novo terminal.

As obras têm previsão de início para este ano, com prazo de conclusão em 180 dias. O investimento estimado é de R$ 959.218,25.

Já o Terminal Rodoviário do Itapoã será construído na Área Especial, Quadra 203, ao lado da garagem de ônibus que, atualmente, é utilizada pela concessionária que atende ao local. A região não possui ponto de soltura e este também será o primeiro terminal da cidade.

O novo espaço vai beneficiar cerca de 65 mil pessoas. Será construído em um terreno com 9,5 metros quadrados que contará com seis plataformas, seis pontos de estocagem, 33 vagas para veículos, 20 vagas para motos, paraciclos, banheiros com acessibilidade, lanchonete, bicicletário e salas administrativas.

Atualmente, a cidade do Itapoã é atendida por três linhas com 111 viagens. Com a nova estrutura, outras linhas sairão da região oferecendo ampliação de cobertura. As linhas que atendem ao Condomínio La Font e o Terminal do Paranoá também passarão pelo local. Além disso, o novo terminal também passará a atender ao residencial Itapoã Parque, que está em fase acelerada de construção.

O investimento da obra é de R$ 3.930.160,00. A previsão é de que a construção comece ainda neste ano e dure 540 dias, considerando-se o primeiro dia de trabalho.

As propostas de licitação de ambas as regiões administrativas (Varjão e Itapoã) já foram recebidas e estão sob análise da comissão examinadora. A conclusão do processo está prevista para outubro.

ARAPOANGA

O setor mais populoso da Região Administrativa de Planaltina também terá seu próprio terminal rodoviário. Arapoanga tem cerca de 46 mil habitantes e, nos horários matutinos de pico (entre 5h e 9h), a estimativa é de que ocorram 115 partidas de ônibus nas proximidades de onde será construída a rodoviária, com média de 7,3 mil passageiros atendidos por dia. O projeto para construção do terminal está em fase de conclusão.

Assista ao vídeo:

A região de Araporanga conta com 16 linhas de ônibus, operadas por 76 veículos que fazem 281 viagens de segunda a sexta, 170 aos sábados e 94 aos domingos.

O terminal será construído em terreno de 6,4 mil metros quadrados na Avenida Erasmo de Castro, rodovia DF-130, em frente ao loteamento Portal do Amanhecer. A rodoviária terá dez boxes na plataforma de embarque e desembarque e 17 boxes para estacionamento de ônibus na fila de espera.

O estacionamento público terá 12 vagas, além de um paraciclo. Os banheiros e as áreas comuns serão construídos de acordo com as regras de acessibilidade. Haverá também espaço para uma lanchonete.

SOL NASCENTE

Outra região administrativa que vai ganhar o seu primeiro terminal rodoviário é o Sol Nascente, que já se aproxima dos 80 mil habitantes. Uma estrutura rodoviária na cidade é uma reivindicação antiga dos moradores que se intensificou após a criação da RA, em 2019, e o grande crescimento populacional da região.

Para atender à solicitação, a Secretaria de Transporte e Mobilidade já está fazendo estudos que vão subsidiar o processo de licitação da obra. A elaboração do projeto já está em andamento e vai beneficiar, diretamente, cerca de 20 mil pessoas.

O lugar onde será construído o novo terminal já foi escolhido. O terreno com pouco mais de 24,2 mil metros quadrados está localizado na Quadra 105, Conjunto M, AE1 (Trecho 2). O projeto conta com seis plataformas, sete pontos de estocagem, 20 vagas de estacionamento, paraciclos com 24 vagas, lanchonete e banheiros com acessibilidade.

GAMA

O Terminal Rodoviário Gama Centro vai passar por uma reforma completa, com adequação da estrutura às normas vigentes de acessibilidade. O investimento do GDF é de R$ 4,6 milhões e a previsão é de que a obra esteja pronta em 540 dias após o início. O edital de licitação está em análise jurídica e a expectativa é de iniciar as obras em 2021.

A reforma vai proporcionar mais conforto para os usuários do terminal e segurança para as pessoas com deficiência. Entre os boxes de paradas dos ônibus serão construídas calçadas dotadas de rotas acessíveis. Além disso, serão eliminados os degraus das plataformas e das áreas comerciais do terminal. A medida é considerada de extrema importância, segundo o presidente da Associação dos Deficientes do Gama e Entorno, Hélcio Gomes Ferreira.

De acordo com a Codeplan, 7,9% da população do Gama tem algum tipo de deficiência. Mais de mil estão cadastradas na associação presidida por Hélcio, para quem muitas pessoas com deficiência utilizam o terminal para chegar até o hospital e a delegacia.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta