Homem é detido furtando cabos na estação Olof Palme do BRT Rio

Publicado em: 6 de setembro de 2020

Funcionamento da estação não foi comprometido. Foto: Reprodução / Redes sociais.

Caso foi encaminhado para a 16ª DP, na Barra da Tijuca

JESSICA MARQUES

O Consórcio BRT Rio informou neste domingo, 06 de setembro de 2020, que um homem foi detido enquanto furtava cabos na estação Olof Palme, no corredor Transolímpica.

O funcionamento da estação não foi comprometido. O caso foi registrado na manhã deste domingo e encaminhado para a 16ª DP (Barra da Tijuca).

Ainda segundo o BRT Rio, esta é a quarta vez que o acusado é flagrado cometendo crimes em estações do sistema.

“Após monitoramento no Centro de Comando Operacional, equipes do BRT Rio e do Programa Estadual de Integração de Segurança (Proeis) foram ao local e encontraram o homem furtando cabos no teto”, detalhou o BRT Rio, em nota.

ESTAÇÕES FECHADAS

Desde abril, cerca de 100 estações foram alvo de vândalos e bandidos. Atualmente, o BRT Rio tem um total de 35 estações fechadas por causa de vandalismo e/ou furtos de equipamentos, conforme informado em nota.

Ainda segundo o consórcio, as estações que foram fechadas em razão da pandemia foram depredadas e não apresentam condições para a reabertura.

“O BRT Rio ressalta que as ações dos operadores de estação são em caráter de orientação aos passageiros para as operações do sistema. A segurança em terminais e estações, que são um patrimônio do município, é atribuição do poder público. É o que estabelece a lei complementar municipal número 100, de 15 de outubro de 2009, que cria a Guarda Municipal e prevê, entre outros itens, ‘proteger bens, serviços e instalações municipais do Rio de Janeiro’”, informou o consórcio, em nota.

“Precisamos muito do apoio do poder público para coibir todo tipo de crime e delito que pode ocorrer nas estações do BRT e também nos articulados. Somente com uma ação integrada da Guarda Municipal com a Polícia Militar, com a qual já temos convênio com o Proeis, conseguiremos colocar fim ao que estamos presenciando hoje e, assim, garantir a segurança das estações e dos passageiros que as utilizam”, afirmou o presidente executivo do BRT Rio, Luiz Martins.

PREFEITURA ACOMPANHA CASOS

Em nota, a Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da SMTR (Secretaria Municipal de Transportes), informou que está acompanhando de perto os episódios de vandalismo e a reforma das estações.

Confira a nota da SMTR, na íntegra:

O vandalismo em estações do BRT é um caso de segurança pública. A Secretaria Municipal de Transporte envia os registros recebidos para as Polícias Militar e Civil.

A secretaria está acompanhando de perto os episódios de vandalismo e a reforma das mais de 20 estações atingidas do BRT, ainda que os casos sejam recorrentes e atrapalhem a conclusão dos trabalhos. A iniciativa para a restauração dos equipamentos é resultado de orientações e incentivos da SMTR para que o BRT Rio proporcione melhorias e maior conforto aos usuários do sistema.

É importante reforçar que, se os equipamentos não forem usados de forma responsável e consciente, os passageiros poderão ser novamente afetados pela suspensão dos serviços para a necessária reforma do local.

A Guarda Municipal do Rio atua desde outubro de 2018 nas estações do BRT fiscalizando o calote de passageiros nos ônibus e já aplicou 14.453 multas, sendo 4.607 este ano (até o dia 23 de agosto). Nesse período, já registrou mais de 30 ocorrências nas estações com prisões em flagrante por crimes, como furto, roubo, importunação sexual e dano ao patrimônio público, além de prestar auxílios ao público.

A Guarda Municipal atua nos principais pontos e espaços públicos da cidade, incluindo o entorno de estações e terminais de transporte, com patrulhamento preventivo realizado a pé ou com viaturas, além do ordenamento urbano e do trânsito. Como esses locais são administrados pela iniciativa privada, eles também contam com serviço de segurança no interior das instalações. A Guarda Municipal presta todo o apoio necessário, dentro de suas atribuições.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta