BRT Rio apela para campanha de conscientização para preservar estações do sistema

Publicado em: 4 de setembro de 2020

Estação Novo Leblon. Divulgação BRT Rio

Vandalismo e furto de equipamentos têm prejudicado milhares de passageiros diariamente

ALEXANDRE PELEGI

O BRT Rio decidiu lançar mão de uma campanha publicitária para conscientizar o público sobre a importância de preservar as estações, terminais e articulados que são usados por milhares de passageiros diariamente.

Serão divulgados materiais informativos nas redes sociais, TVs embarcadas e cartazes.

Dos problemas têm prejudicado o funcionamento do sistema no Rio de Janeiro: o vandalismo e o furto de equipamentos.

Luiz Martins, presidente executivo do BRT Rio, destaca que as estações e terminais são um patrimônio público, portanto é um dever de todos cuidar e preservar. “Estamos fazendo um grande esforço financeiro para reformar e recuperar estações que foram depredadas, mas para que o cronograma seja seguido e as estações entregues para a população é fundamental acabar com o vandalismo e os furtos de equipamentos”, apelou o executivo.

Ao todo, 17 estações já passaram por intervenções nos últimos meses, apesar do momento de dificuldade financeira. O BRT Rio segue um cronograma de reforma e melhorias de estações.

As obras incluem o fechamento do acesso ao forro e à cobertura, pintura, nova rede elétrica, reforço na iluminação e sinalização.

A nova estrutura que vem sendo utilizada na revitalização impede que ambulantes e moradores de rua guardem objetos na parte superior da estação, além de proteger o cabeamento elétrico. A iluminação também é reforçada com mais refletores.

Como mostrou o Diário do Transporte, 58 pessoas foram detidas por furtos e vandalismo em estações do BRT Rio de março a agosto de 2020. Os flagrantes foram feitos por policiais militares do Proeis (Programa Estadual de Integração de Segurança).

Os furtos de cabos elétricos e equipamentos (televisores, bebedouros, ar condicionado, catracas) representam a maior parte das detenções, segundo o consórcio BRT Rio. A contagem considera os três corredores.

O corredor com mais ocorrências é o Transoeste, com 25 flagrantes. Em seguida estão o Transcarioca, com 18, e Transolímpica, com 15. Além da ronda, a atuação dos policiais militares conta com o apoio da equipe de monitoramento do Centro de Controle Operacional do BRT Rio, que aciona o Proeis quando se percebe movimentação estranha nas estações.

ESTAÇÕES FECHADAS

Desde abril, cerca de 100 estações foram alvo de vândalos e bandidos. Atualmente, o BRT Rio tem um total de 35 estações fechadas por causa de vandalismo e/ou furtos de equipamentos.

Ainda segundo o consórcio, as estações que foram fechadas em razão da pandemia foram depredadas e não apresentam condições para a reabertura.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta