Ribeirão Preto suspende licitação para implantação de corredor de ônibus e ciclovias

Publicado em: 2 de setembro de 2020

Ônibus urbano em Ribeirão Preto

Estruturas fazem parte do pacote de mobilidade previsto para a cidade e que está em atraso

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, publicou oficialmente nesta quarta-feira, 02 de setembro de 2020, o comunicado de suspensão da licitação para obras de implantação do corredor de ônibus Norte-Sul trecho 1 e das ciclovias Thomaz Alberto A. Whately e Magid Simão Trad.

De acordo com a publicação oficial, a suspensão é por tempo indeterminado e ocorre por solicitação da Diretoria do Departamento de Materiais e Licitações.

O motivo da solicitação não foi informado no comunicado publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

Como mostrou o Diário do Transporte, o corredor de ônibus Norte-Sul trecho 1 e  as ciclovias Thomaz Alberto A. Whately e Magid Simão Trad fazem parte do plano de mobilidade de Ribeirão Preto cuja implantação deveria estar em estágio mais avançado de acordo com os cronogramas iniciais.

A estrutura faz parte de um pacote de 11 corredores e deve ter espaço exclusivo com estações de embarque e desembarque.

Os corredores do plano de mobilidade são:

– Corredor da avenida do Café (licitado)

– Corredor da Dom Pedro (licitado)

– Corredor Saudade (licitado)

– Corredor Av. Presidente Vargas;
– Corredor Norte X Sul – trecho 1 – avenidas Recife, Thomas Alberto Whately e Brasil;
– Corredor Norte X Sul – trecho 2 – avenidas Mogiana, Paschoal Innechi e Meira Junior;
– Corredor Norte X Sul – trecho 3 – av. Independência;
– Corredor Norte X Sul – trecho 4 – av. Independência, Ligia Latuf Salomão, Braz Olaia Acosta e Cel. Fernando Ferreira Leite;
– Corredor Leste X Oeste – avenidas. Castelo Branco, Treze de Maio e ruas Capitão Salomão e Goiás;
– Corredor Leste X Oeste – avenidas Presidente Kennedy, Costábile Romano, Nove de Julho;
– Corredor região central – ruas Lafaiete, Florêncio de Abreu, Visconde de Inhaúma e Barão do Amazonas.

 

O plano de mobilidade prevê 27 obras que devem atender aproximadamente 4 milhões de usuários do transporte público, segundo a prefeitura. O investimento total se aproxima de R$ 500 milhões, sendo R$ 310 milhões provenientes de recursos do Governo Federal e, o restante, do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) e outras agências de crédito.

Ainda de acordo com a prefeitura, já foram entregues três pontes na avenida Francisco Junqueira, a duplicação da Mugnatto Marincek, as quatro frentes de recapeamento concluídas e o recape da rua Tapajós. Em execução: recuperação da Estrada do Piripau, ampliação da Av. Fernando Ferreira Leite, readequação viária da Praça Hélio Smidt, prolongamento da Av. Dina Rizzi, o viaduto sobre o córrego Retiro Saudoso, os recapeamentos iniciados em outubro, recapes iniciados em 12 de novembro de 2019 e o início da implantação do viaduto na avenida Brasil sobre a avenida Mogiana.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta