Greve de ônibus na Grande Vitória é encerrada

Publicado em: 26 de agosto de 2020

Nova paralisação será definida ainda nesta semana. Foto: Fábio Andrade / Ônibus Brasil.

Mesmo com a volta dos coletivos, trabalhadores alegam ainda não ter sido pagos

WILLIAN MOREIRA

Após seis dias de paralisação, os trabalhadores da Viação Metropolitana encerraram a greve e voltaram a operar o transporte coletivo na Grande Vitória, no Espírito Santo.

Segundo informações do portal Folha Vitória, os coletivos voltaram a circular nesta quarta-feira, 26 de agosto de 2020. Entretanto, a retomada ocorreu mesmo sem ainda receberem os pagamentos em atraso.

Ainda ao portal, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Espírito Santo (Sindirodoviários-ES), José Carlos Sales, informou que a suspensão da greve foi definida entre os funcionários da empresa.

De acordo com Carlos Sales, nesta quinta-feira, 27, uma nova assembleia será realizada para discutir uma nova paralisação. O tempo será para a Metropolitana buscar a regularização das questões reivindicadas, ainda segundo o sindicalista.

SOBRE A PARALISAÇÃO

A greve de ônibus na Grande Vitória teve início em 20 de agosto de 2002. Na ocasião, rodoviários da Viação Metropolitana e da Tabuazeiro interromperam as atividades.

Os trabalhadores cobravam das suas respectivas empresas o cumprimento dos acordos de trabalho e seus direitos, como salário e cestas básicas.

Os motoristas da Tabuazeiro voltaram às atividades depois de três dias de greve, restando apenas a Metropolitana paralisada.

No dia 22, uma liminar determinou a circulação de pelo menos 60% da frota para evitar maior risco de propagação do novo coronavírus.

A Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb-ES) informou que seis linhas eram afetadas pelo movimento.

Relembre: Trabalhadores da Metropolitana entram no sexto dia de greve na Grande Vitória

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta