TCE-PR verifica lotação dos ônibus de Curitiba durante pandemia de Covid-19

Publicado em: 19 de agosto de 2020

Nas ações, foram vistoriadas estações-tubo localizadas em diferentes pontos da cidade. Foto: Divulgação.

Resultados serão encaminhados à administração municipal

JESSICA MARQUES

O TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado do Paraná) informou, em nota, que realizou ações para verificar a lotação dos ônibus de Curitiba durante a pandemia de Covid-19.

Na mais recente fase de auditoria do contrato do transporte coletivo de Curitiba, uma equipe de seis servidores verificou in loco a lotação dos veículos. As ações foram realizadas nos dias 4, 6 e 11 de agosto de 2020.

Assim, nas ocasiões, foram vistoriadas estações-tubo localizadas em diferentes pontos da cidade, sempre a uma distância segura dos usuários do serviço, conforme informado em nota.

“O objetivo foi analisar se está sendo cumprido, na prática, o distanciamento social preconizado no artigo 1º, inciso II, da Lei Municipal nº 15.627/2020. A norma estabeleceu o Regime Emergencial de Operação e Custeio do Transporte Coletivo, que prevê aumento nos pagamentos da prefeitura às empresas prestadoras do serviço, para que elas possam garantir a mínima lotação dos veículos, a fim de impedir o contágio dos passageiros pelo novo coronavírus”, detalhou o TCE-PR.

De acordo com o analista de controle Fernando Matheus da Silva, que coordena a atividade, os resultados da verificação serão encaminhados em breve à administração municipal. Após a manifestação da Prefeitura, será consolidado o relatório final da auditoria, que integra o Plano Anual de Fiscalização (PAF) de 2020 do TCE-PR.

Desde dia 17 de abril, os servidores do corpo técnico do Tribunal estão analisando documentos e informações prestadas pela Urbs (Companhia de Urbanização de Curitiba), com foco nos seguintes pontos: eficiência no acompanhamento e remanejamento da oferta em face às mudanças na demanda; suficiência de controle sobre os custos do sistema para o pagamento do subsídio; e adequação da fiscalização frente às atribuições relacionadas à pandemia da Covid-19.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Alberto Luis Machado disse:

    A que horas foram feitas as fiscalizaçoes, porque se foi as duas da tarde de pouco ou para nada serviu, foram avisados das fiscalizaçoes entao de pouco ou nada serviu?

Deixe uma resposta