Obras do monotrilho da Linha 15-Prata são paralisadas por falta de pagamento

Publicado em: 16 de agosto de 2020

Linha 15-Prata de monotrilho atualmente liga a região da Vila Prudente até o bairro de São Mateus. Foto: Adamo Bazani.

Consórcio CEML se comprometeu a retomar trabalhos nesta segunda, 17, mediante repasse do Governo do Estado

JESSICA MARQUES
Colaborou Willian Moreira

As obras de expansão da Linha 15-Prata de monotrilho do estado de São Paulo estão paralisadas. O CEML (Consórcio Expresso Monotrilho Leste) interrompeu os trabalhos por falta de pagamento por parte do Governo do Estado.

Em nota ao Diário do Transporte, o Metrô de São Paulo, Companhia à qual a Linha 15-Prata pertence, informou que a retomada está prevista para esta segunda-feira, 17 de agosto de 2020. A Companhia ressalta ainda que o repasse é de responsabilidade da Secretaria de Planejamento.

“O Consórcio CEML se comprometeu a retomar as obras na segunda-feira (17), considerando a expectativa de repasse da Secretaria de Planejamento, o permitirá o pagamento nesta semana. O cronograma está mantido”, informou o Metrô, em nota.

De acordo com publicação do jornal Folha de S.Paulo, a paralisação das obras ocorre há aproximadamente 10 dias. Além disso, o Consórcio teria dado aviso prévio para demitir 120 trabalhadores da obra, o que ocorrerá nesta semana, caso o pagamento não seja realizado.

A Linha 15-Prata de monotrilho atualmente liga a região da Vila Prudente até o bairro de São Mateus, junto ao Terminal Metropolitano, na Zona Leste de São Paulo.

O monotrilho da linha 15-Prata teve as obras iniciadas em 2010 e a previsão inicial era de que todo o traçado de 26,7 quilômetros de extensão, com 18 estações entre Ipiranga e Hospital Cidade Tiradentes, fosse entregue em 2014 ao custo R$ 3,5 bilhões.

Depois, a estimativa em junho de 2015 passou para R$ 4,6 bilhões para um bem trecho menor: de 15,3 km e 11 estações. Agora estimativa de custo é de R$ 5,2 bilhões, com a entrega da estação Jardim Colonial, somente em 2021.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

 

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta