Prefeitura de São Paulo renova acordo para prevenir lesões e mortes no trânsito

Publicado em: 11 de agosto de 2020

Lesões no trânsito são a 8ª principal causa de morte em todo o mundo. Foto: Adamo Bazani.

Parceria é com a Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de São Paulo renovou em 07 de agosto de 2020 um contrato para prevenir lesões e mortes no trânsito. Na ocasião, foi assinado um novo acordo de cooperação com a Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global (BIGRS, na sigla em inglês).

A assinatura marca a renovação por mais seis anos do apoio aos trabalhos de prevenção de lesões e mortes no trânsito na cidade de São Paulo. O apoio à cidade havia sido anunciado inicialmente em fevereiro deste ano pela Fundação Bloomberg Philanthropies.

O anúncio ocorreu durante a 3ª Conferência Ministerial Global sobre Segurança Viária, promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e realizada em Estocolmo, na Suécia.

REUNIÃO

Na sexta-feira, 14 de agosto de 2020, haverá uma reunião com a secretária municipal de Mobilidade e Transportes e líder técnica da Iniciativa Bloomberg em São Paulo, Elisabete França, o secretário municipal de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes, o presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Jair de Souza Dias, a representante da equipe de saúde da Bloomberg Philanthropies, Kelly Larson, e dos demais parceiros que reafirmam o apoio à Prefeitura de São Paulo.

“Com a renovação do apoio da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, São Paulo continua a contar com uma equipe de técnicos especializados, além de uma rede internacional de organizações que dão suporte às ações do poder público municipal em melhorias no gerenciamento de dados, infraestrutura, fiscalização, educação e comunicação”, informou a Prefeitura, em nota.

PARCEIROS

Ainda segundo a Prefeitura, os parceiros vão oferecer apoio técnico e também financeiro à cidade para implementação de estratégias comprovadamente eficazes para prevenção de mortes e feridos no trânsito, em consonância com as melhores práticas internacionais na área.

Entre eles estão a OMS, Global Road Safety Partnership (GRSP), World Resources Institute (WRI), Johns Hopkins International Injury Research Unit, World Bank’s Global Road Safety Facility, Vital Strategies e International Association of Chiefs of Police.

“Renovar a parceria com a Bloomberg Philantropies para apoio às políticas de segurança viária significa salvar vidas no trânsito da cidade de São Paulo. Campanhas de conscientização, melhoria do desenho urbano e informações sobre o comportamento dos nossos motoristas são essenciais para prevenir acidentes. Desde que colocamos em prática o Plano de Segurança Viária com normas internacionais inspiradas no conceito visão zero, as mortes no trânsito estão diminuindo e vão diminuir cada vez mais”, afirmou, em nota, o prefeito, Bruno Covas.

Além de São Paulo, fazem parte da renovação da parceria as cidades de Guayaquil, no Equador; Cali, na Colômbia; e Buenos Aires, na Argentina; além de Recife e Salvador. Ao todo serão 30 cidades dentro da Iniciativa, que já incluem Accra e Kumasi (Gana), Adis Abeba (Etiópia), Bogotá e Cali (Colômbia), Guadalajara (México), Quito e Guayaquil (Equador), Hanói e Cidade de Ho Chi Minh (Vietnã), Kampala (Uganda), Mumbai, Bengaluru e Nova Délhi (Índia).

INVESTIMENTOS

Também em fevereiro, a Bloomberg Philanthropies anunciou uma duplicação de seu apoio à segurança viária global, adicionando mais US$ 240 milhões entre 2020 e 2025 em todo o mundo.

O objetivo do investimento é, segundo a empresa, salvar mais 600 mil vidas e evitar até 22 milhões de lesões em países de baixa e média renda ao redor do mundo, como o Brasil.

Assim, espera-se que o reinvestimento de seis anos na BIGRS duplique seu impacto até hoje. Desde 2007, a iniciativa salvou cerca de 312 mil vidas e evitou até 11,5 milhões de feridos, segundo a Prefeitura.

CAUSA DE MORTE

As lesões no trânsito são a 8ª principal causa de morte em todo o mundo e o número um em mortes de pessoas entre 5 e 29 anos, ainda segundo a Prefeitura.

“Mais de 1,35 milhão de pessoas morrem e até 50 milhões são gravemente feridas em acidentes de trânsito a cada ano. Além disso, as perdas econômicas são impressionantes – um relatório recém divulgado pelo Banco Mundial descobriu que reduzir pela metade as mortes e feridos no trânsito poderia adicionar de 7 a 22% ao PIB per capita em 5 países selecionados de baixa e média renda nos próximos 24 anos.”

PLANO DE SEGURANÇA VIÁRIA

A Prefeitura ressaltou ainda que lançou em 2019 o Plano de Segurança Viária – Vida Segura, com o objetivo de transformar a cidade de São Paulo em uma das mais seguras para pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas.

O Vida Segura é baseado nos conceitos de Visão Zero e Sistemas Seguros, que partem da premissa de que nenhuma morte no trânsito é aceitável e que todos, incluindo o Poder Público, devem assumir sua responsabilidade para a redução dos acidentes. Criado na Suécia, em 1997, o Visão Zero já é usado como referência em cidades como Nova York, Cidade do México e Bogotá.

“A cidade de São Paulo alcançou o menor índice de mortes no trânsito por 100 mil habitantes: 6,09 mortes (dados de fev/2020). Em 2019, 791 pessoas morreram em acidentes de trânsito na capital. Trata-se do menor número de óbitos da série histórica registrada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), desde a década de 70, e representa uma redução de 42% nas mortes no trânsito desde o início da Década de Ação em Segurança Viária (2011). A renovação da parceria com a Iniciativa Bloomberg reitera o compromisso da Prefeitura de São Paulo em reduzir as mortes e lesões no trânsito.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Roberto Dias disse:

    Está ai um ASSUNTO QUE ME INTERESSA MUITÍSSIMO, tendo em vista que eu sempre duvidei que houvesse algum técnico em transito e em sinalização na cidade de São Paulo, e em outras circunvizinhas. Ora bolas, sou Motorista de ônibus (há 23 anos) com certa visão em técnicas de melhorias efetivas e de baixo custo, que encerraria definitivamente, a ideia de muitas pessoas, de que a cidade sofre um abandono e descaso total nesta área. Os conflitos que enfrentamos no trânsito, por falta de sinalização adequada, e em outros casos, por desrespeito às poucas sinalizações que há, chega a causar-nos insônia e até intensificar nosso nível de estresse. Eu gostaria imensamente de ser convidado para uma rodada de bate papo com essas equipes de Técnicos.

Deixe uma resposta