Metrô de São Paulo compra drone e ‘patinetes’ para uso em segurança

Dois VLEs foram comprados e Metrô capacitou agentes. Foto: Divulgação.

Veículos entram em funcionamento a partir de segunda-feira, 10

JESSICA MARQUES

O Metrô de São Paulo informou nesta sexta-feira, 07 de agosto de 2020, que comprou um drone e dois VLEs (Veículos Leves Elétricos), semelhantes a um patinete, para uso na área de segurança. O objetivo é utilizar os equipamentos para atendimento aos passageiros e operação do sistema.

De acordo com a Companhia, os equipamentos vão entrar em funcionamento a partir de segunda-feira, 10. O Metrô informou que capacitou os agentes de segurança para o uso nas estações maiores e de mais movimento, como Sé e Luz, por exemplo.

“Sua vantagem é a agilidade de deslocamento, possibilitando a cobertura de uma área cinco vezes maior em muito menos tempo. Outro benefício é que os agentes ficam elevados, com uma visão melhor dos locais e sendo vistos pelos passageiros mais facilmente, ampliando também a percepção de segurança presente”, informou a Companhia, em nota.

Os VLEs são movidos a bateria, com autonomia média de oito horas ou cerca de 38 quilômetros em uso constante. O objetivo é que os equipamentos sejam usados preferencialmente fora dos horários de pico, onde há menos circulação de passageiros, para não atrapalhar a circulação das pessoas.

DRONE PARA PATRULHAMENTO

WhatsApp Image 2020-08-07 at 14.08.56

O Metrô informou que também adquiriu um drone que vai auxiliar no patrulhamento do sistema. Com ele, será possível ampliar a área de monitoramento, especialmente em trechos abertos, como na Linha 3-Vermelha, evitando e coibindo invasões à via.

“O equipamento também pode complementar as operações em eventos com grande concentração de pessoas, como em jogos de futebol. Ele poderá transmitir imagens sobre a movimentação do público e a velocidade do fluxo que deve entrar na estação, facilitando a adoção de estratégias de operação. Para a utilização, os agentes de segurança do Metrô foram capacitados por uma empresa habilitada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC)”, informou o Metrô, em nota.

EXOESQUELETOS

Por sua vez, para atender a grandes eventos, o Metrô informou que está licitando a aquisição de 300 exoesqueletos. Os equipamentos são armaduras feitas em policarbonato de alta resistência e devem ser usados principalmente em manifestações.

“A estimativa é de contratar os equipamentos até o fim do ano, que virá com kit completo, incluindo capacete, para proteção de todo o corpo do agente de segurança em situações de fortes pancadas, cortes e queimaduras”, detalhou.

CÂMERAS

Outra aquisição recente foi a de 350 câmeras portáteis que o Metrô comprou para utilizar nos uniformes dos agentes de segurança. As chamadas “Body Cams” já começaram a ser usadas e até o final de outubro devem estar disponíveis para uso dos seguranças de todas as estações.

Relembre: Câmeras no corpo de seguranças também poderão ajudar a fiscalizar uso de máscara em Metrô

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta