Vendas de ônibus sobem 45% em julho, mas acumulam queda de 33% no ano

Publicado em: 4 de agosto de 2020

Ônibus em São Paulo. Foto meramente ilustrativa- Prefeitura de São Paulo

Dados foram divulgados pela Fenabrave e indicam um sinal de recuperação, mas ainda não o suficiente para fazer com que 2020 feche no azul

ADAMO BAZANI

O total de ônibus emplacados em julho deste ano cresceu 45,62% em julho deste ano na comparação com junho. Foram 1.893 veículos de transporte coletivo licenciados ante 1.300 do mês anterior.  Entretanto,  no acumulado do ano, os emplacamentos de ônibus registram queda de 33,98% de janeiro a julho de 2020 na comparação com semelhante período do ano passado. Foram emplacados 9.769 ônibus nos sete primeiros meses de 2020 enquanto que de janeiro a julho de 2019, foram 14.798 unidades.

Os dados são da Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores divulgados nesta terça-feira, 04 de agosto de 2020.

Os números indicam uma reação do mercado, mas não a ponto de fazer que o ano de 2020 feche no azul em comparação com 2019, quando ainda não havia a pandemia do novo coronavírus.

Na comparação com julho do ano passado, o mês em 2020 registrou queda de 20,99%

Todo o setor de veículos, por sua vez, incluindo carros, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários registou crescimento de 43,61% em julho na comparação com junho com 279 mil 103 unidades comercializadas. No ano, a queda acumulada nos sete primeiros meses é de 33,67%, com 1,5 milhão de unidades (1.504.731). No período do ano passado foram 2,28 milhões de  veículos (2.268.385).

MARCAS:

No acumulado do ano, a Mercedes-Benz lidera com 6.235 unidades emplacadas, o que corresponde a 63,82% de participação.

Em seguida aparecem Volkswagen com 17,91%; Marcopolo (Volare) com 10,68%; Volvo (2,74%), Scania (2,37%); Iveco (2,06%); Agrale (0,29%) e os ônibus elétricos da BYD (0,09%)

Somente no mês de julho, as posições das marcas praticamente ficam as mesmas

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta