Transporte coletivo de Vitória (ES) deixa de aceitar dinheiro a partir de sábado (01)

Publicado em: 30 de julho de 2020

CartãoGV será único meio de pagamento aceito. Foto: Juan Guilherme Costa Siqueira/Ônibus Brasil.

Medida busca diminuir contágio pelo novo coronavírus no uso de cédulas, um dos principais meios de contaminação

WILLIAN MOREIRA

A partir deste sábado, 1º de agosto de 2020, os ônibus do transporte coletivo municipal da cidade de Vitória, no Espírito Santo, não vão mais aceitar o pagamento da tarifa em dinheiro.

A nova medida anunciada na semana passada busca evitar maior propagação do vírus da Covid-19 no transporte, segundo a Prefeitura. Isso porque o dinheiro é um grande meio de contágio não só do coronavírus, mas de outras doenças.

Assim, os coletivos, conhecidos como “verdinhos” vão aceitar apenas o CartãoGV como maneira de pagar a passagem.

A mudança não tem data para terminar e deve durar até o fim da pandemia e o impacto é esperado em parcela menor da população, uma vez que o CartãoGV vem sendo utilizado por ampla parcela da população.

O CartãoGV pode ser comprado pelo valor de duas tarifas (R$ 7,80) para bilhetes sem cadastro e por R$ 10 os cartões vinculados a um CPF, podendo depois ser recarregado pelo aplicativo ou terminais de autoatendimento. O cartão também é comercializado em lojas autorizadas, agentes nos terminais ou na lista de parceiros disponível no site www.cartaogv.br.

A mesma medida já havia sido tomada no Transcol, conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

Relembre: Ônibus do Transcol, no Espírito Santo, não vão aceitar dinheiro e circularão sem cobrador a partir de domingo

O CartãoGV é o Bilhete Único Metropolitano de Vitória. Um cartão único que pode ser utilizado nos ônibus do Transcol, de Vitória e de Vila Velha.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Marcos Borges disse:

    UE?mas uma vez li nesse mesmo site que o sindicato era contra essa medida devido ser uma forma disfarçada de acabar com os cobradores .Agora é implantada a medida?E o sindicato aceitou?Agora se essa moda pegar daqui a pouco outros estados adotarao essa idéia.MENOS SP POIS O SINDICATO DOS MOTORISTAS E COBRADORES AQUI É MUITO FORTE E O COBRADOR NÃO SERA COISA DO PASSADO POR AQUI.

Deixe uma resposta