Em rondas fiscalizando ônibus, agentes da SPTrans salvam vida de homem que caiu de viaduto

Publicado em: 24 de julho de 2020

Joedson Teles Nunes, Leandro Ferreira Amaral: sensação de dever cumprido. Foto: SPTrans/Divulgação

Profissionais fazem parte das equipes que realizam os trabalhos de  motocicleta. Acidente ocorreu na Avenida 23 de maio

ADAMO BAZANI

Dois agentes de fiscalização de ônibus da SPTrans – São Paulo Transporte, em rondas de moto, foram fundamentais para salvar a vida (e o destino) de um homem em situação de rua, de 32 anos, que caiu da lateral do Viaduto Pedroso de Moraes, no Paraíso, Zona Sul de São Paulo.

Os profissionais Joedson Teles Nunes, de 43 anos, e Leandro Ferreira Amaral, de 30 anos, já estavam encerrando o turno da noite, quando na via dedicada aos ônibus da Avenida 23 de Maio viram o homem de bruços e sem consciência.

A queda foi de quase dez metros de altura.

Pela posição do homem, o risco de ele ser atingido por um ônibus era muito grande, já que os motoristas poderiam não conseguir avistar a vítima, que estava de camiseta branca, mesma cor da tinta do meio-fio.

Enquanto um dos profissionais desviava o trânsito, outro checava os sinais vitais do homem.

O serviço de resgate foi chamado pelos agentes que, enquanto aguardavam, foram informados por testemunhas que o homem havia rolado pela encosta da avenida, do topo do viaduto até a guia.

O morador em situação de rua foi levado para a Santa Casa de Misericórdia, em Santa Cecília.

Dois dias depois de terem encontrado o homem, os agentes das SPTrans foram até o hospital saber de notícias.

A vítima sofreu apenas escoriações no rosto e nos braços e teve quatro costelas quebradas, o que chamou a atenção, pelo tamanho da queda.

Mas o que emocionou Joedson e Leandro é que o fato foi uma oportunidade de mudança de vida do rapaz.

Após ter alta do hospital, seus amigos contaram sobre a queda e que ele estava vivo graças à ação dos funcionários da SPTrans que o avistaram caído e o socorreram.

Ciente da oportunidade que a vida tinha dado, o homem em situação de rua considerou que havia “nascido de novo” e disse que decidiu buscar tratamento contra o vício da bebida e se reencontrar com a família, principalmente o filho, de 7 anos.

Foi o início da mudança de destino.

Os agentes dizem que tiveram a sensação de dever cumprido. “Voltamos para casa muito felizes com a conclusão de que salvamos uma vida e depois mais felizes por saber que fizemos a diferença na vida de alguém”, afirmou Leandro Ferreira Amaral , que tem três anos de trabalho na SPTrans.  Joedson Teles Nunes, com 10 anos de serviço pela gerenciadora dos transportes, também se considerou realizado com o trabalho.

O caso ocorreu no sábado, 11 de julho de 2020, mas foi divulgado nesta sexta-feira, 24, pela SPTrans.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Nei disse:

    Verdadeiros heróis.

  2. Zeneide Aparecida disse:

    Parabéns pela dedicação e empenho, agiram de maneira humanitária e honrosa.

  3. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    BOAS NOVAS!

    E muito bom saber que neste mundo ainda existe muiiiiiiiiiiitas pessoas do bem.

    PARABÉNS!

    SAÚDE A TODOS!

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta