Justiça determina retorno dos ônibus em Juiz de Fora (MG)

Publicado em: 21 de julho de 2020

Apesar da liminar, até o começo da noite os coletivos ainda não haviam retomado a operação. Foto: Rafael H.

Liminar do TRT mineiro estipulou a volta para às 16h30, mas até a noite ainda não havia sido atendida

WILLIAN MOREIRA

O Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG) expediu uma decisão liminar nesta terça-feira, 21 de julho de 2020, obrigando que os trabalhadores do transporte coletivo em Juiz de Fora que estão em paralisação desde o começo da manhã.

Os funcionários da Goretti Irmãos LTDA (GIL) protestam pelo atraso de pagamentos da cesta básica e ticket alimentação referentes ao mês de maio.

Além do retorno imediato dos coletivos as suas linhas, o juiz Thiago Saco, da 1ª Vara do Trabalho determinou as empresas do Consórcio Manchester e Via JF, o pagamento do reivindicado pela categoria, as cestas básicas do mês de junho até a sexta-feira, 24 de julho.

O impasse do transporte na cidade ocorre desde abril e durante a pandemia, ao menos três greve foram promovidas pelo sindicato em busca dos direitos dos funcionários da GIL.

Na greve de terça-feira (21), o prefeito Antonio Almas disse em vídeo nas redes sociais para o problema que não é de responsabilidade da prefeitura, ser resolvido o mais breve possível para não penalizar os passageiros.

Por sua vez, a Astransp, que representa as empresas do transporte coletivo, e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes e Trânsito (Sinttro) trocaram acusações.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/07/21/transporte-coletivo-de-juiz-de-fora-mg-entra-em-nova-paralisacao/

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta