Prefeitura de Volta Redonda (RJ) realiza audiência pública que integra licitação do transporte coletivo

Publicado em: 20 de julho de 2020

Ônibus do transporte municipal também passam por fiscalização. Foto: Divulgação.

Data definida para ouvir a população é 31 de julho

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, já marcou a data da audiência pública que integra a primeira licitação do transporte coletivo na cidade.

Desta forma, ficou para o dia 31 de julho de 2020 a realização da audiência pública. O objetivo é ouvir e propor sugestões e melhorias no transporte coletivo.

Apesar da pandemia de Covid-19, o encontro será presencial. A audiência pública será realizada das 18h às 21h30 no Teatro Maestro Franklin de Carvalho Junior, da Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda), localizado no Colégio Getúlio Vargas, no bairro Laranjal.

“Essa audiência é uma orientação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) e vamos poder ouvir a população, que é muito importante nesse processo. Todas as sugestões serão levadas em consideração para finalizarmos o edital de licitação. Será um marco para a história da cidade”, explicou o secretário municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, Rogério Loureiro, em nota.

Contudo, a participação acontecerá de forma semipresencial, com o máximo de 50 pessoas no teatro. A Prefeitura informou também que a reunião ocorrerá respeitando as normas de distanciamento social e saúde por conta da pandemia.

Além das 50 pessoas, o restante vai poder acompanhar por meio da internet. As inscrições para participar serão realizadas pelo site da prefeitura, com início a partir do dia 16 de junho.

INTERVENÇÃO

Em janeiro de 2020, a Prefeitura já havia autorizado a intervenção em nove linhas da Viação Sul Fluminense. Agora, estão sendo operadas por três empresas consorciadas do SindPass (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros).

As linhas atendem aos bairros Coqueiros, Siderlândia, Vila Brasília, Santa Cruz e Santa Rita do Zarur.

O prefeito Samuca Silva ressaltou a importância da participação popular, em nota. Além disso, detalhou que decretou, em maio de 2019, a caducidade da concessão da empresa por prestar um serviço de má qualidade.

“Vamos resolver isso com a primeira licitação do transporte coletivo na história de Volta Redonda. Recentemente, mais um ônibus da empresa pegou fogo. São inúmeros problemas e a população não aguenta mais. Foram muitos recursos impedindo a licitação, mas continuamos avançando para dar ao povo de Volta Redonda um transporte coletivo de qualidade”, afirmou Samuca Silva.

FISCALIZAÇÃO

Além disso, a Prefeitura informou que está realizando ações de fiscalização periodicamente nas empresas de ônibus. A ação ocorre em bairros e horários diferenciados a cada semana, sem aviso prévio às empresas operadoras do serviço.

“Na última semana, os fiscais atuaram em quatro centros comerciais do município e, nesta terça, quarta e quinta-feira, dias 14, 15 e 16, a ação está concentrada em bairro periféricos. O objetivo é alcançar toda a cidade, garantindo serviço de qualidade a toda população”, detalhou a Prefeitura, em nota.

Recentemente, a intensificação da fiscalização teve o foco voltado para as normas sanitárias de prevenção à Covid-19. Entre elas estão sanitização dos veículos; o uso da máscara, obrigatório para passageiros e operadores do transporte público; e ainda a lotação dos ônibus.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta