Prefeitura do Rio de Janeiro aplica 169 multas por falta de adesivo de distanciamento em ônibus

Publicado em: 16 de julho de 2020

Objetivo da medida é orientar usuários sobre a posição recomendada pelos órgãos de saúde ao viajar em pé. Foto: Divulgação SMTR/ Prefeitura do Rio.

Número é considerado baixo pela administração municipal

JESSICA MARQUES

A Prefeitura do Rio de Janeiro informou que aplicou 169 multas por falta de adesivo de distanciamento nos ônibus. O número é considerado baixo pela administração municipal.

Isso porque, ao todo, 413 multas foram aplicadas por diversas irregularidades entre as empresas de ônibus. Assim, 41% das penalidades foram por conta do adesivo.

“As equipes da SMTR observaram que grande parte dos ônibus estavam adesivados dentro do prazo. Para as exceções, aplicamos multa, instrumento previsto em contrato. O mais importante é a conscientização de todos os envolvidos neste momento atípico e complexo”, disse o secretário municipal de Transportes, Paulo Jobim.

A frota municipal possui 5.977 veículos operados por quatro consórcios e o Acordo Operacional BRT. Ao Diário do Transporte,  o BRT Rio havia informado que já estava com 80% dos veículos adesivados mesmo antes do início da fiscalização.

Relembre: BRT Rio tem 80% da frota com adesivos marcando distanciamento dos passageiros

A medida foi determinada pela Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria Municipal de Transportes. O objetivo da medida é combater a pandemia de Covid-19, garantindo que os passageiros em pé nos coletivos não fiquem muito próximos.

De acordo com as novas regras, os operadores do sistema BRT e dos ônibus convencionais devem indicar, com adesivos ou pintura no piso dos coletivos, o local onde cada passageiro poderá ser transportado em pé, respeitando o limite de duas pessoas por metro quadrado.

Relembre: Prefeitura do Rio de Janeiro publica regras de distanciamento entre passageiros em pé nos ônibus

FISCALIZAÇÃO

Durante as ações de fiscalização da última semana, outras 97 autuações foram registradas por lotação indevida, além de 143 multas por intervalo entre linhas superior ao estabelecido, inoperância e circulação com frota inferior ao determinado.

“É preciso deixar claro que todas as medidas publicadas pela SMTR foram amplamente discutidas com as autoridades de saúde. Essas medidas devem ser implementadas pelos consórcios, já que o objetivo central é preservar a vida de todos, inclusive dos utilizam o transporte público, tanto passageiros, como motoristas”, disse Allan Borges, subsecretário de Transportes, também em nota.

“A SMTR segue com as ações de fiscalização reforçadas para verificar se essa e outras determinações da Prefeitura contra a disseminação do novo coronavírus estão sendo devidamente cumpridas pelos operadores. Caso contrário, as sanções previstas em contrato poderão ser aplicadas”, detalhou a Prefeitura.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta