BRT Aricanduva recebe Unidade de Gerenciamento de Projeto e conta com US$ 97 milhões para sair do papel

Publicado em: 16 de julho de 2020

Ônibus chegando ao Terminal São Mateus, um dos extremos da zona Leste

Decreto instituindo UGP passa a valer a partir desta quinta-feira, 16. Sistema de ônibus rápidos vai conectar Corredor ABD, Metrô, CPTM e monotrilho

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, assinou decreto que viabiliza o avanço da implantação do BRT-Corredor Aricanduva, previsto para ligar a região de São Mateus, conectando o monotrilho da linha 15-Prata e o Corredor de Ônibus e Trólebus ABD até o outro extremo da região junto à Avenida Radial Leste, possibilitando a chegada ao Metrô Carrão (linha 3-Vermelha). O trajeto, que também deve fazer conexão com as linhas 11 e 12 da CPTM ainda na zona Leste, por meio do contato com a linha 3-Vermelha, contará com aproximadamente 14 km de extensão em pavimento rígido. A região engloba 1,1 milhão de usuários e, somente pelo corredor, devem passar em torno de 300 mil passageiros por dia.

Nesta quinta-feira, 16 de julho de 2020, foi publicada oficialmente a criação da “Unidade de Gerenciamento do Projeto – UGP para o Projeto do Bus Rapid Transit – Corredor Aricanduva, desenvolvido no âmbito do Programa de Melhoria da Mobilidade Urbana Universal”.

Uma UGP é responsável por reunir a concepção, criação, elaboração do projeto final e execução de uma obra, por exemplo; sendo constituída por engenheiros e técnicos de diversas áreas.

Como já havia mostrado o Diário do Transporte, o Banco Mundial aprovou o empréstimo para a cidade no valor de US$ 97 milhões (US$ 97.160.526,00) para o corredor.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/04/24/banco-mundial-vai-emprestar-us-97-milhoes-para-a-construcao-do-brt-aricanduva/

Caberá a esta UGP, de acordo com o decreto 59.615, o planejamento, a coordenação e a execução das etapas de preparação, negociação e execução do projeto.

Ainda de acordo com a publicação oficial, a obra tem “o objetivo de ampliar a capacidade de operação do transporte coletivo para grande parte da população da região Leste da Cidade de São Paulo, notadamente os moradores de baixa renda, melhorando a acessibilidade para os usuários.”

As obras do corredor foram prometidas em 2011 com previsão inicial de entrega em 2014.

O CORREDOR E HISTÓRICO:

O BRT-Corredor Aricanduva é previsto para ligar a região de São Mateus, conectando o monotrilho da linha 15-Prata e o Corredor de Ônibus e Trólebus ABD até o outro extremo da região junto à Avenida Radial Leste, possibilitando a chegada ao Metrô Carrão (linha 3-Vermelha). O trajeto, que também deve fazer conexão com as linhas 11 e 12 da CPTM, por meio do contato com a linha 3-Vermelha ainda na zona Leste, contará com aproximadamente 14 km de extensão em pavimento rígido e estações de embarque e desembarque. A região engloba 1,1 milhão de usuários e, somente pelo corredor, devem passar em torno de 300 mil passageiros por dia.

As obras do corredor foram prometidas em 2011 com previsão inicial de entrega em 2014.

Em 2014, a data de entrega foi alterada. No dia 11 de setembro de 2014, o então o Secretário Municipal de Transportes, Jilmar Tatto, da gestão Fernando Haddad, prometeu a obra para 2016, o que não se concretizou também.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2014/09/11/brt-radial-e-corredor-aricanduva-ficam-prontos-ate-2016/

O projeto também enfrentou questionamento no TCM/SP – Tribunal de Contas do Município de São Paulo.

Somente em dezembro de 2019, foi aberta uma licitação para escolher a empresa ou consórcio responsável pela elaboração do projeto.

https://diariodotransporte.com.br/2019/12/20/prefeitura-de-sao-paulo-abre-licitacao-para-projetos-do-corredor-de-onibus-aricanduva-caram-fala-em-r-100-milhoes-do-banco-mundial/

No dia 24 de abril de 2020, prefeitura de São Paulo por meio da Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT) informou que o Banco Mundial aprovou o empréstimo para a cidade no valor de US$ 97 milhões que será destinado par a construção do corredor.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/04/24/banco-mundial-vai-emprestar-us-97-milhoes-para-a-construcao-do-brt-aricanduva/

O empréstimo tem garantia do Governo Federal e prazo de 15 anos de amortização, ou seja, quitação desta dívida com pagamentos periódicos em valores pré-fixados. .

Parte do dinheiro será destinada também a modernização do Centro de Controle Operacional (CCO) da SPTrans, permitindo uma melhor análise e controle da operação na cidade.

O BRT-Aricanduva será um corredor com estações (paradas) para embarque e desembarque, contará com 14km e tem previsão para atender 300 mil pessoas por dia.

A SMT informou ao Diário do Transportem, na ocasião, que ainda haverá a licitação deste corredor. Não há data oficializada para o início e fim das obras.

“A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, informa que o Banco Mundial aprovou um empréstimo de US$ 97 milhões para a construção do BRT Aricanduva. O projeto, que prevê 14km de percurso e deverá atender 300 mil passageiros, ainda será licitado.”

No dia 20 de junho de 2020, a São Paulo Obras, da prefeitura de São Paulo, assinou Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB) objetivando a cooperação técnica na implementação das atividades do Projeto “Programa De Melhoria Da Mobilidade Urbana Universal – Corredor Aricanduva”, conforme Contrato de Empréstimo firmado entre o Município de São Paulo e o Banco Internacional para Reconstrução de Desenvolvimento – BIRD. O prazo foi estipulado em 60 meses.

Caberá a esta UGP, de acordo com o decreto 59.615, o planejamento, a coordenação e a execução das etapas de preparação, negociação e execução do projeto.

Ainda de acordo com a publicação oficial, a obra tem “o objetivo de ampliar a capacidade de operação do transporte coletivo para grande parte da população da região Leste da Cidade de São Paulo, notadamente os moradores de baixa renda, melhorando a acessibilidade para os usuários.”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Antonio palacio disse:

    Adamo, daqui a 6 meses muda o prefeito. Esqueça, o outro irá ter outras prioridades, aqui são Paulo, nada tem continuidade.

Deixe uma resposta