Hitachi ABB lança sistema de carregamento de ônibus elétricos em larga escala

Publicado em: 15 de julho de 2020

Aplicação pode ser feita em garagens de ônibus ou terminais. Foto: Divulgação / Hitachi ABB Power Grids.

Grid-eMotion Fleet utiliza corrente contínua e pode se conectar a qualquer tipo de rede de energia

JESSICA MARQUES

A Hitachi ABB Power Grids lança nesta quarta-feira, 15 de julho de 2020, um sistema de carregamento de ônibus elétricos em larga escala. A solução, Grid-eMotion Fleet, utiliza corrente contínua e pode se conectar a qualquer tipo de rede de energia.

Ao Diário do Transporte, o vice-presidente para América Latina na Hitachi ABB Power Grids, Leandro Bertoni, explicou que a corrente alternada é a que utilizamos nas tomadas de casa. Por sua vez, a contínua, utilizada no Grid-eMotion Fleet, é convertida, portanto mais estável e com 40% menos cabos elétricos.

“O Grid-eMotion Fleet sai do conceito de produto e passa para um conceito de sistema, que pode alimentar frotas muito grandes. Além disso, tem um sistema digital que controla o consumo de energia no carregamento dos ônibus e permite que não polua as redes elétricas com o harmônico, pois ele filtra essa sujeira, que poderia gerar até pequenos blackouts. Tem um sistema que impede que libere isso para a rede”, explicou.

Bertoni detalhou que o sistema é modular, em contêineres, portanto é menor que as formas de carregamento convencionais. Além disso, pode ser instalado em garagens de ônibus ou terminais.

“O sistema traz bastante segurança, pode estar em lugares públicos também. Oferece uma redução de espaço da ordem de 60% em relação aos sistemas de carregamento normais utilizados pelos operadores que utilizam ônibus elétricos”, explicou.

Outra característica do sistema mencionada por Bertoni é a confiabilidade. De acordo com o vice-presidente para América Latina na empresa, o Grid-eMotion Fleet utiliza menos equipamentos, portanto o risco de falhas é menor que o convencional.

“Com a possibilidade de reduzir o espaço na garagem de ônibus ou em um terminal, o sistema permite que caibam mais veículos carregando ao mesmo tempo”, citou também.

Ao frotista, a empresa oferece o sistema de carregamento, treinamento para o operador e provê um suporte de manutenção.

TEMPO DE CARGA

Bertoni explicou ainda que o tempo de carga pode ser escolhido de acordo com a necessidade do ônibus elétrico. Há uma opção para que o veículo passe a noite sendo recarregado, além de ficar de 10 a 15 minutos enquanto há uma troca de motoristas, por exemplo, ou uma opção “flash” que faz o recarregamento em segundos nos pontos de ônibus.

Os tipos de carregamento disponíveis no sistema vão variar de acordo com o que for definido entre o provedor da tecnologia e o cliente, que no caso seria empresário de ônibus.

LEGISLAÇÃO

Na visão de Bertoni, o sistema é inovador por estar em sintonia com as metas de redução da emissão de carbono. Junto a isso, também contribui para o aumento da eficiência do transporte público, permitindo otimizar o carregamento de ônibus elétricos.

Com relação à regulamentação, o executivo explica que a legislação não prevê nenhum impedimento para instalação de um sistema como esse. Assim, a empresa não prevê entraves, mas incentivos.

“O que acreditamos é em ser uma tendência futura que o sistema seja em corrente contínua, cada vez mais, por economia, pela possibilidade de aumentar a frota e rapidez”, disse Bertoni.

O executivo esclarece, porém, que o gasto de energia elétrica está diretamente relacionado ao tipo de ônibus. Isso porque a carga varia de acordo com a necessidade de cada veículo.

NEGOCIAÇÃO

O sistema já está sendo apresentado pela empresa a fabricantes de ônibus elétricos e frotistas do transporte coletivo. De acordo com Bertoni, a companhia já possui acordos na China e na Índia. Na América Latina, por sua vez, as negociações ainda estão em andamento.

Apesar de o lançamento oficial ocorrer nesta quarta, 15, a Hitachi ABB Power Grids já está em contato com possíveis interessados em adquirir a solução.

JOINT VENTURE

Em 1º de julho de 2020, a Hitachi e ABB anunciaram a conclusão de todos os procedimentos necessários para a formação da joint venture Hitachi ABB Power Grids Ltd.

Desta forma, a Hitachi fica com participação de 80,1% nesta nova empresa. O volume de negócio é de aproximadamente US$ 10 bilhões.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta