Presidente da empresa Biguaçu solicita fim da greve e afirma não ter intenção de demitir os atuais 590 funcionários

Trabalhadores da empresa entraram em greve nesta terça, 07. Foto: Brunno Alexandre / Ônibus Brasil.

Paralisação solicita reintegração de 160 profissionais que já foram desligados

JESSICA MARQUES

A greve de ônibus da Biguaçu, que opera na Região Metropolitana de Florianópolis, em Santa Catarina, chegou ao quarto dia nesta sexta-feira, 10 de julho de 2020. Assim, o diretor-presidente da empresa, Léo Mauro Xavier Filho, solicitou o fim da paralisação, por meio de nota.

No documento, disponibilizado publicamente no site da empresa, o diretor afirma não ter intenção de demitir os atuais 590 funcionários. Além disso, afirma que a greve agrava a situação financeira da empresa e compromete o pagamento em dia dos salários dos trabalhadores.

“Como sabem, estivemos reunidos com a diretoria do sindicato e colocamos a nossa intenção de reintegrar à empresa os 160 profissionais que, infelizmente, tivemos que desligar. Para isso acontecer, colocamos que importantes pontos devem ser atendidos para que o equilíbrio financeiro da empresa possa acontecer”, disse Filho, em nota.

“É importante ressaltar que a paralisação ocasionada pelo sindicato não ajuda em nada o momento difícil que vivemos. Se já temos valores atrasados e dificuldade de arcar com os salários daqueles que estão trabalhando, com a paralisação isso se agrava ainda mais. Além de trazer um prejuízo para os nossos usuários que tem os seus empregos ameaçados por não ter como se deslocarem aos seus trabalhos”, afirmou também.

Confira o posicionamento, na íntegra:

biguaçu

PARALISAÇÃO

Os trabalhadores da empresa entraram em greve nesta terça, 07. De acordo com o Sintraturb (Sindicato dos Trabalhadores), a categoria protesta contra a demissão de mais de 160 funcionários.

Desta forma, estão sendo afetadas linhas de ônibus que atendem Biguaçu, Governador Celso Ramos e regiões de São José.

Relembre: Ônibus da Biguaçu não circulam nesta quarta-feira (08) na Grande Florianópolis

POSICIONAMENTO SOBRE DEMISSÕES

Sobre as demissões, a empresa informou que enfrenta uma crise financeira por conta da pandemia do novo coronavírus, que resultou em mais de 90 dias de paralisação.

Confira:

“Prezados colaboradores da empresa Biguaçu Transportes Coletivos.

A grave crise sem precedentes que nos atingiu, interrompeu as nossas atividades por praticamente 100 dias. Diversos compromissos financeiros, bancários, pagamentos a fornecedores se acumularam e atrasaram por não estarmos operando normalmente. Nos 68 anos de história da empresa, essa foi a primeira vez que atrasamos os salários de nossos colaboradores.

Com o limite da capacidade do veículo, estabelecida pelas prefeituras e governo do estado como forma de combate ao Coronavírus, nossa operação e equilíbrio financeiro ficam por completo inviabilizados. Temos outros custos adicionais que não existiam antes da pandemia como a aquisição de máscaras, álcool gel para os todos profissionais, despesas com a sanitização do veículo, testes de COVID para os funcionários que voltam ao trabalho entre outros.

Tudo isso faz com que aconteça o desequilíbrio financeiro da nossa empresa e por isso fomos obrigados a tomar medidas nunca antes imaginadas e que relutamos muito para aceitar. Como sabem, no dia de hoje, 6 de julho de 2020, tivemos a dispensa de 160 colaboradores da nossa empresa.

Se não fosse necessário, não tomaríamos essa decisão. Infelizmente, tivemos que reduzir 160 postos de trabalho para buscar manter os 590 que permanecem.

Estamos vivendo num mundo completamente novo onde uma nova realidade tem que ser colocada em prática para salvarmos os postos de trabalho de diversos colaboradores e a empresa.

Ressalto que estamos voltando à normalidade de forma lenta e gradual. Peço que aguardem a convocação da empresa para realização dos testes de COVID e volta ao trabalho. Estamos trabalhando muito forte para que isso aconteça o mais rápido possível.

Aproveito a oportunidade para informar que amanhã, 7/7/2020, será realizado o pagamento do vale alimentação a todos os colaboradores, inclusive para aqueles que foram desligados.

Reafirmo o nosso compromisso com cada um de vocês na esperança de que dias melhores virão e que nossa empresa fique ainda mais forte.

Léo Mauro Xavier Filho
Diretor Presidente
Biguaçu Transportes Coletivos Ltda.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta