Após notificação do MP, Governo do Espírito Santo prepara protocolo de funcionamento do transporte coletivo

Publicado em: 8 de julho de 2020

Prazo para apresentação do protocolo é 16 de julho de 2020. Foto: Arquivo / Ceturb-ES.

Novos procedimentos serão adotados nos terminais de integração do Transcol e nos ônibus

JESSICA MARQUES

A Semobi (Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura) do Espírito Santo deverá apresentar um protocolo de combate à Covid-19 no transporte coletivo. O Ministério Público notificou o órgão e solicitou a elaboração de um plano voltado à Grande Vitória.

De acordo com o órgão, as medidas devem ser realizadas junto à Secretaria de Estado da Saúde. O prazo para apresentação do protocolo é 16 de julho de 2020.

Desta forma, a Semobi informou, em nota ao Diário do Transporte, que já está sendo elaborado um plano para o transporte coletivo. O documento trará diretrizes, à luz da legislação sanitária, para os procedimentos adotados nos terminais de integração do Transcol e nos ônibus.

Confira a nota do Governo do Estado, na íntegra:

A Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) em reunião com o Ministério Público, no ultimo dia 01°, informou que está sendo elaborado um protocolo de funcionamento do transporte público, em conjunto com a Secretaria de Saúde, que vai dar diretrizes, à luz da legislação sanitária, para os procedimentos adotados nos terminais de integração do Transcol e nos ônibus. Assim que for concluído, o protocolo será divulgado.

A Companhia Estadual de Transportes Coletivos do Estado do
Espírito Santo (Ceturb-ES) já vem adotando medidas para enfrentar a pandemia de diminuir os riscos de disseminação do novo coronavírus.

Entre elas, estão o reforço na higienização dos coletivos com hipoclorito de sódio diluído, conforme orientações da Secretaria da Saúde (Sesa); higienização e desinfecção diária nos terminais, além de disponibilização de sabonete nos banheiros; distribuição de máscaras para passageiros nos terminais; obrigatoriedade do uso de máscaras para passageiros e colaboradores do sistema; superdimensionamento da operação para garantir o transporte, minimizando o risco de contaminação; recomendação para que passageiros embarquem somente em veículos com assentos disponíveis; disponibilização de botão de denúncia de lotação e do não uso de máscara no aplicativo Ônibus GV; marcação das filas nos terminais e recomendação aos passageiros para manutenção do distanciamento mínimo de 1,5 metro; retirada dos veículos com ar-condicionado de circulação; além distribuição de álcool gel e máscaras para trabalhadores do sistema, entre outras medidas.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta