Por causa da Covid-19, produção de ônibus cai 36,5% no primeiro semestre, diz Anfavea

Publicado em: 6 de julho de 2020

Ônibus novos estão sendo fabricados

Já a queda de licenciamentos foi de 40,6% no período, de acordo com entidade

ADAMO BAZANI

A produção de ônibus no Brasil registrou no primeiro semestre de 2020, queda de 36,5% em comparação ao mesmo período de 2019, por causa, principalmente, dos efeitos econômicos da Covid-19, pandemia que teve origem na China.

De acordo com dados da Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, entre janeiro e junho de 2020, foram produzidos 8.931 chassis de ônibus. Já entre janeiro e junho de 2019, a produção foi de 14.064 unidades.

A queda no nível de produção entre modelos de aplicação urbana e rodoviária foi semelhante, ainda de acordo com o balanço da Anfavea divulgado nesta segunda-feira, 06 de julho de 2020.

Foram produzidos 1.980 chassis rodoviários (queda de 36,3% em relação ao primeiro semestre do ano passado) e 6.951 urbanos (retração de 36,6% sobre o período de janeiro a julho de 2019).

No primeiro semestre de 2019, saíram das linhas de produção, 3.107 rodoviários e 10.957 urbanos.

LICENCIAMENTOS:

Já em relação aos licenciamentos, a queda acumulada no primeiro semestre de 2020 em relação aos seis primeiros meses de 2019, foi de 40,6%, com 5.716 unidades ante 9.619 do período de 2019, ainda de acordo com a divulgação da Anfavea nesta segunda-feira, 06.

RANKING:

A associação que reúne as montadoras divulgou também o ranking das marcas.

A Mercedes-Benz continua na liderança, com 3.165 unidades. A maior queda foi da Volkswagen Caminhões & Ônibus (52%) e a menor queda, até o momento, foi da Iveco (15,8%), mas a empresa é a que tem o menor volume absoluto vendido no ano.

1º) Mercedes-Benz – 3.165 unidades. Queda de 36,6% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2019.

2º) Volkswagen Caminhões & Ônibus – 1.246 unidades. Queda de 52% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2019.

3º) Agrale (inclui miniônibus Volare) – 665 unidades. Queda de 42,6% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2019.

4º) Volvo – 218 unidades. Queda de 40,4% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2019.

5º) Scania – 195 unidades. Queda de 36,3% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2019.

6°) Iveco – 123 unidades. Queda de 15,8% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2019.

EXPORTAÇÕES:

As exportações de ônibus montados no primeiro semestre de 2020 tiveram queda de 54,5% em relação ao período de 2019, com 1.726 unidades embarcadas frente a 3.797.

O segmento de urbanos foi o mais prejudicado, com queda de 65,3% representando as 883 unidades de 2020 ante as 2.546 dos primeiros seis meses de 2019.

No primeiro semestre de 2020, a queda nas vendas para o exterior de ônibus rodoviários montados foi de 32,6%, com volume de 843 veículos ante 1.251 do mesmo período de 2019.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes  

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta