Licitação do transporte em Adamantina é declarada deserta

Publicado em: 30 de junho de 2020

Transporte municipal é operado pela Guerino Seiscento. Foto: Fabiano de Oliveira Prado

Prefeitura deverá realizar novo processo para contratar nova empresa de ônibus para a cidade

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Adamantina, no interior de São Paulo, remarcou a data de entrega das propostas para a licitação dos transportes coletivos para 18 de junho de 2020, mas nenhuma empresa manifestou interesse em participar do certame.

Com isso, a licitação foi declarada deserta, e a prefeitura deverá agendar um novo processo licitatório.

Como noticiou o Diário do Transporte, a administração municipal havia suspendido a concorrência para ajuste de edital após questionamento da empresa Ariel de Barros Eireli. A data inicial de entrega de propostas era 28 de maio de 2020.  Relembre: Adamantina remarca para 18 de junho licitação do sistema de ônibus

A licitação foi aberta devido ao vencimento do prazo do contrato firmado pela Prefeitura com a Guerino Seiscento, atual concessionária do serviço, em junho de 2020.

A cidade tem apenas duas linhas, uma que vai do Jardim Adamantina, sentido ao Jardim Bela Vista, tem extensão de 10 km na ida e 8,4 km na volta.

Já a linha 2 faz o trajeto Jardim Europa ao Parque do Sol, percorrendo 12 km na ida e 10,9 km na volta.

Em dezembro de 2019, após a Guerino reclamar da queda na demanda de passageiros, a prefeitura autorizou a empresa a reduzir os horários de ônibus circular em suas duas linhas na cidade.

A prefeitura chegou a enviar no final de 2019 um Projeto de Lei à Câmara de Vereadores autorizando o Poder Executivo a conceder subsídio tarifário mensal para os serviços de transporte coletivo na cidade.

Neste mesmo PL, a prefeitura anunciara a pretensão de, no próximo processo licitatório, autorizar frota para o transporte de passageiros com ônibus com idade média de 15 anos de uso.

O novo contrato prevê vigência de 5 anos, podendo ser prorrogado por igual período, uma única vez. A tarifa máxima, no primeiro ano, deve ser de R$ 3,50, com reajustes a cada 12 meses.

A gratuidade no sistema de transporte municipal é alta. De um total de 520 mil viagens anuais, apenas 30 mil são pagas integralmente,

adama Alexandre Pelegi, jornalistas especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta