Leilão da recuperação do Grupo Baltazar arrecada R$ 7 milhões e nova rodada deve ocorrer nos próximos dias

Publicado em: 25 de junho de 2020

“Ônibus-pipa” que estava entre os veículos oferecidos

Garagem usada pela Suzantur ainda aguarda homologação de proposta. Ônibus devem ser ofertados com valores menores

ADAMO BAZANI

Foi concluída nesta quinta-feira, 25 de junho de 2020, a primeira rodada do leilão de bens do Grupo BJS, do empresário de ônibus do ABC Paulista, Baltazar José de Souza, que está em recuperação judicial desde 2012, uma das mais longas do setor de transportes.

O processo é da 6ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho Estado do Amazonas.

O Diário do Transporte acompanhou o procedimento.

De acordo com o leiloeiro Wesley Silva Ramos, apesar de nem todos os bens terem sido arrematados, os resultados desta primeira rodada foram considerados positivos.

Foram arredados pouco mais de R$ 7 milhões.

Entre os imóveis arrematados estão uma área que era garagem de ônibus em Uberaba/MG (R$ 5,6 milhões), um apartamento com garagens de carro em Guarujá/SP (R$ 820 mil), uma casa em Santo André/SP (R$ 440 mil) e um terreno em Mauá/SP (R$ 320 mil).

A garagem “Princesinha”, em Mauá, que abriga ônibus em desuso do grupo, foi suspensa para ajuste nas especificações da documentação no leilão, e a garagem ao lado, usada pela atual concessionária das linhas municipais de Mauá, Suzantur, ainda aguarda a homologação de uma proposta.

Foram também vendidos carros, uma retroescavadeira e um ônibus.

A maior parte dos mais de 70 ônibus não teve interessados, mas segundo Wesley, tanto os coletivos quanto imóveis ainda não arrematados, serão oferecidos em uma nova rodada de leilão que deve ocorrer nos próximos dias. Os valores serão reduzidos.

O site da empresa de leilão é: https://www.wrleiloes.com.br/ – os novos lotes ainda serão publicados.

O Grupo Baltazar opera entre o ABC Paulista e a capital com as seguintes empresas: Viação Ribeirão Pires, EAOSA – Empresa Auto Ônibus Santo André, EUSA – Empresa Urbana Santo André, Viação São Camilo, Viação Triângulo e Viação Imigrantes.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. orlando silva disse:

    só 1% do que ele devem inclusive à União,,via INSS

  2. walter mendes vieira disse:

    WMV. Tem q usar esse dinheiro para pagar os processos de antigos funcionários.

  3. Cristiano disse:

    Tem.que pagar os processos trabahistas.

Deixe uma resposta