Linhas 289 e 290 da Metra são paralisadas às 19h30

Publicado em: 23 de junho de 2020

Já as linhas 288 e 376 permanecem com últimas partidas mais cedo

ADAMO BAZANI

A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos informou há pouco que as linhas 289 (Piraporinha/Jabaquara) e 290 (Diadema/Jabaquara) foram paralisadas às 19h30 novamente nesta terça-feira, 23 de junho de 2020.

Os serviços atendem à região de Americanópolis, na zona Sul de São Paulo, marcada na semana passada pelos protestos contra a morte de um adolescente de 15 anos. Policiais Militares são suspeitos. Na ocasião, ônibus e trólebus foram queimados.

Como mostrou o Diário do Transporte, nesta segunda-feira, a linha 288 – São Bernardo do Campo (Terminal Metropolitano Ferrazópolis)/São Paulo (Terminal Metropolitano Jabaquara) passou a ter a última viagem às 22h10 a partir do Ferrazópolis e às 23h a partir do Jabaquara.

Já a linha 376 – Diadema (Terminal Metropolitano Diadema)/ São Paulo (Brooklin) passou  a ter a última partida às 21h50 a partir de Diadema e às 22h30 a partir do Brooklin.

As ações registradas nos últimos dias foram

Sexta-feira, 19 de junho de 2020

– Quatro linhas da Metra encerraram as operações mais cedo.

Quinta-feira, 18 de junho de 2020

– Não houve tumultos registrados pela polícia, mas preventivamente três linhas da Metra encerraram as operações mais cedo.

Quarta-feira, 17 de junho de 2020

– Ônibus da MobiBrasil foi depredado

– Linhas da Metra foram reduzidas ou suspensas

Terça-feira, 16 de junho de 2020

– Ao menos três ônibus da Metra (linhas metropolitanas EMTU) depredados

– Arrastão contra motoristas

– Saques a comércio

– Mais de 40 linhas de ônibus paralisadas e dois pontos finais alterados

Segunda-feira, 15 de junho de 2020

– Seis coletivos foram queimados, sendo dois trólebus articulados da empresa Metra (linhas metropolitanas EMTU), um trólebus padron também da Metra (linhas metropolitanas EMTU), dois ônibus padron da empresa MobiBrasil (linhas municipais SPTrans) e um ônibus midi da A2 Transportes (linhas metropolitanas EMTU).

– Quatro ônibus depredados, sendo um da Metra e três da MobiBrasil

– Fiação aérea de trólebus destruída

– Caçambas de entulho viradas e queimadas

– Mais de 40 linhas de ônibus paralisadas e dois pontos finais alterados

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta