Prefeito de Cuiabá propõe rodízio de veículos, redução do horário de funcionamento dos serviços não essenciais e reforça frota de ônibus

Prefeitura informa que intervalos estão em aproximadamente 10 minutos e pede para que população espere próximo ônibus para evitar superlotação. Foto: Divulgação.

Ao todo, sete veículos foram incluídos operação do transporte coletivo

JESSICA MARQUES

O prefeito de Cuiabá, no Mato Grosso, Emanuel Pinheiro, propôs rodízio de veículos, redução do horário de funcionamento dos serviços não essenciais na cidade e reforçou a frota de ônibus. As medidas têm como objetivo combater a pandemia de Covid-19 no município.

Com relação à frota, a Semob (Secretaria de Mobilidade Urbana), incluiu sete veículos na frota em circulação, principalmente para suprir as demandas das linhas troncais, ou seja, aquela de maior procura pelos usuários.

“Tivemos conhecimentos de alguns problemas pontuais. Nesse sentido, reunimos com as empresas que prestam os serviços e definimos essa nova estratégia. O controle do tráfego e quantidade de usuários transportados são realizados diariamente”, explicou o diretor de Transporte, Nicolau Budib.

De acordo com a Prefeitura, algumas linhas que receberam reforço e extensão no horário de atendimento são a 115, 605, 711, 517, 313, 311 e 609.

“Algumas linhas estão fazendo com intervalo de menos de dez minutos entre uma e outra, o que corresponde a dez viagens em menos de 01 (uma) hora. Então, com um pouco de paciência, o usuário pode esperar o próximo ônibus e com isso evitar a superlotação. Uma vez que, é impossível a fiscalização estar em todos os pontos e estações”, afirmou também.

PROPOSTAS

Quanto à proposta de alterações em combate à pandemia, o prefeito menciona fechamento de bares e restaurantes mais cedo, às 20h; funcionamento das 11h às 15h nos restaurantes que abrem para almoço; e shopping centers abertos das 11h às 18h.

Além disso, Pinheiro sugere rodízio de veículos; trabalho remoto para todos os servidores públicos municipais, estaduais e federais; além da retomada da redução da frota de ônibus para 30%. Neste caso, os ônibus seriam apenas para quem trabalha nos serviços essenciais.

O prefeito também propõe a ampliação do toque de recolher, que passaria a começar às 20h, indo até às 5h. Assim, a população ficaria mais tempo em casa, o que poderia reduzir as chances de contágio.

AUDIÊNCIA

As medidas foram levadas para debate com a Prefeitura de Várzea Grande e o Governo do Estado, nesta segunda-feira, 22 de junho de 2020, como ficou acordado na sexta-feira passada, 19, durante audiência de conciliação na Vara Estadual Especializada em Saúde, no Fórum de Várzea Grande.

De acordo com o prefeito da capital, essas medidas já seriam debatidas pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 na terça-feira, 23.

“Já tenho a minuta do decreto que nós pretendíamos apresentar terça ou quarta-feira. Veio a ação do Ministério Público Estadual, então, nós estamos antecipando já algumas medidas que pretendemos tomar. Eu vou acabar de selar essas principais medidas pra poder baixar o decreto”, afirmou.

Emanuel Pinheiro disse também, em nota, que a prioridade agora é “garantir o trabalho, o emprego mesmo que em horário reduzido, mas com todas as medidas de biossegurança e de distanciamento social”.

FISCALIZAÇÃO

A Prefeitura informou também que a fiscalização do controle de acesso dos usuários do transporte coletivo na capital continua. Com a retomada de forma gradativa dos setores econômicos, o monitoramento é realizado para evitar aglomerações, o que possibilita à disseminação do novo coronavírus.

“Se comparado com o número total de passageiros registrados em tempos normais, o equivalente a 250 mil pessoas, o fluxo diário registrou uma redução de 70% desde o início da adoção de medidas especiais e de controle ao novo coronavírus”, informou a Prefeitura, em nota.

“Antes da publicação do último decreto municipal, que dispõe sobre a retomada de setores econômicos, na primeira quinzena do mês de junho, conforme levantamento feito pelo Diretoria de Transportes, o número de usuários que estavam sendo transportados era de 75 mil. Após essa última medida de disseminação do Covid-19, o número de transportados saltou para 85 mil, um pequeno acréscimo de 10 mil passageiros.”

HIGIENIZAÇÃO

A administração municipal informou também que todos os veículos são devidamente higienizados após término de cada viagem. Os coletivos estão circulando, seguindo a determinação judicial, com 50% de sua capacidade total, ainda segundo a Prefeitura.

“Para um maior rigor na fiscalização, controle de acesso e exigir o uso de máscaras tanto dentro dos ônibus como nos terminais e paradas de ônibus, as equipes de agentes estão atuando de forma volante. Nos horários considerados de pico, os agentes permanecem nas estações Alencastro, Bispo e Maria Taquara. Após isso, os agentes são deslocados para os principais corredores como as Avenidas do CPA, Trabalhadores e Fernando Côrrea, a fim de garantir a fluidez e a tranquilidade do trânsito”, detalhou o diretor de Transporte, Nicolau Budib.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta