Prefeitura flagra 89 ônibus do BRT Rio quebrados e 63% da frota em operação, mas consórcio afirma que está em 100%

Ao todo, 238 ônibus foram vistoriados. Foto: Divulgação / SMTR.

Fiscalização foi realizada na madrugada desta segunda-feira, 15

JESSICA MARQUES

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da SMTR (Secretaria Municipal de Transportes), informou que realizou uma ação na madrugada desta segunda-feira, 15 de junho de 2020, para verificar a quantidade de ônibus do BRT presentes nas garagens e quantos realmente saíram para circular e fazer o atendimento à população.

De acordo com a Prefeitura, os fiscais da SMTR estiveram na maioria das garagens do BRT, como Redentor, Futuro, Pégaso, Normandy e Jabour, e vistoriaram 238 ônibus. Deste total, 149 entraram em operação, o que representa 63% da frota encontrada nessas garagens.

Além disso, as equipes também verificaram que 89 coletivos estavam fora de operação, em sua maioria por problemas mecânicos. Além disso, a frota do BRT cadastrada na SMTR e que deveria estar em circulação é de mais de 376 veículos.

“Esse número foi dimensionado para que seja respeitado o intervalo entre os ônibus, proporcionando agilidade e maior conforto à população. Quando o sistema BRT opera com frota inferior, principalmente neste momento delicado de pandemia e retomada das atividades, os intervalos aumentam e os ônibus ficam lotados”, informou a Prefeitura, em nota.

Além do número de veículos, os fiscais verificaram a higienização dos ônibus e a condição de manutenção. Todos os coletivos que saíram das garagens estavam devidamente higienizados e os motoristas usavam máscara.

OUTRO LADO

Entretanto, o BRT Rio informou, em nota, que está com 100% de sua frota operante nas ruas, ao contrário do que foi informado pela fiscalização da Prefeitura à imprensa.

“A manutenção dos articulados é realizada regularmente, mas pistas em péssimo estado de conservação, especialmente nos corredores Transoeste e Transcarioca, colaboram para o aumento no número de quebras ao longo dos percursos. Buracos, rachaduras e depressões nas pistas dos corredores comprometem equipamentos e a mecânica dos articulados”, informou o Consórcio.

Confira a nota, na íntegra:

O BRT Rio está com 100% de sua frota operante nas ruas.

A manutenção dos articulados é realizada regularmente, mas pistas em péssimo estado de conservação, especialmente nos corredores Transoeste e Transcarioca, colaboram para o aumento no número de quebras ao longo dos percursos. Buracos, rachaduras e depressões nas pistas dos corredores comprometem equipamentos e a mecânica dos articulados.

A trepidação a que os veículos são submetidos danifica todos os equipamentos embarcados, incluindo motor e suspensão. Veículos que deveriam durar 20 anos têm tido sua vida útil reduzida para apenas cinco no Rio de Janeiro.

O BRT Rio está trabalhando arduamente para consertar os veículos danificados e os colocará em operação a medida em que forem recuperados.

Sobre a operação realizada hoje pela SMTR, afirmamos que os números apresentados não correspondem à realidade.

Ressaltamos o momento crítico por qual passa o setor de transporte por ônibus no Rio de Janeiro desde o início da pandemia, que registrou queda de até 75% do número de passageiros e resultou, inclusive, no fechamento de algumas empresas. Há desequilíbrio econômico financeiro de todo o sistema e falta de recursos para investimentos no setor, que vem amargando tarifas congeladas há 16 meses e não conta com nenhum auxílio financeiro da Prefeitura para enfrentar a atual crise.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Olá amigo, foi o que eu disse tempos atrás aqui.. >> as pistas são horríveis, ele deveriam aprender com a METRA…

  2. Marli Duarte disse:

    Absurdo é ter várias estações fechadas e que mesmo com o retorno de vários setores ao trabalho as estações permanecem fechadas!! Dinheiro público sendo jogado fora, falta de respeito com a população. As estações fechadas virando
    abrigos de usuários de drogas e ninguém explica nada!! Gastaram rios de dinheiro público na construção de estações e agora sob a fachada da pandemia fecharam sem dar uma satisfação a população!! Vergonha!! Uso o BRT diariamente e há muito tempo vem sendo sucateado e com intervalos cada vez maiores….

Deixe uma resposta