Viação Coesa e Nossa Senhora do Amparo, voltam a atender a cidade do Rio de Janeiro pela Ponte Rio-Niterói

Viagens entre cidades voltam a ser liberadas no sábado (06)

WILLIAN MOREIRA

A partir do sábado, 06 de junho de 2020, as empresas de ônibus intermunicipais que ligam as cidades de Niterói e Rio de Janeiro, passam novamente a realizar as viagens, passando pela Ponte Rio-Niterói.

O decreto que proibia essas viagens se encerra na sexta (05) e por isto as empresas Viação Nossa Senhora do Amparo e a Coesa, já se prepararam para a retomada o serviço.

O transporte intermunicipal de passageiros será retomado gradualmente a partir a partir deste sábado, 06 de junho de 2020. A decisão foi anunciada pelo governo estadual em decreto publicado em edição extra nesta sexta-feira, 05. Veja íntegra do documento:

Governo do Rio libera retomada gradual do transporte intermunicipal e Fetranspor alerta para problemas pontuais na primeira semana

Desde o final de março as viagens entre as duas cidades estavam suspensas como medida de prevenção e combate ao coronavírus e valia também para táxis e carros de corrida por aplicativo, restando somente o transporte sobre barcas, permitida para trabalhadores de serviços essenciais.

As empresas ao operar devem seguir e manter os cuidados sanitários como a higienização intensificada dos coletivos, limpeza do ar condicionado, disponibilizar álcool em gel para os passageiros e medir todos os dias a temperatura dos seus motoristas.

Em seu site a Coesa divulgou seu plano de retomada, mencionando as linhas que voltam a funcionar no sábado, 06:

4110 Castelo 2110 Castelo/Passeio
2545 Castelo 423 Vila Isabel
110 Passeio 535 Estácio
423 Vila Isabel
535 Estácio
545 Candelária

Por sua vez, a empresa Viação Nossa Senhora do Amparo, informou que sua retomada será em regime especial e em seu site orienta os passageiros que consultem nas redes sociais da empresa ou no WhatsApp a frequência das linhas em operação.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta