Campina Grande (PB) amanhece sem ônibus

Publicado em: 4 de junho de 2020

Empresas que atuam na cidade estão à beira do colapso financeiro. Foto: Felipe Pessoa de Albuquerque

Empresas de transporte coletivo justificaram a suspensão no serviço com prejuízos financeiros causados pela queda no número de passageiros durante a pandemia de Covid-19

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Campina Grande, na Paraíba, comunicou que os ônibus que atendem o transporte coletivo não circularão a partir desta quinta-feira, 04 de junho de 2020.

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Campina Grande (Sitrans) enviou ofício ao prefeito em 29 de maio relatando que não retomaria as atividades após o feriado prolongado convocado pela prefeitura.

Como mostrou o Diário do Transporte, as atividades comerciais de Campina Grande ficaram fechadas de sábado, 30 de maio, até esta quarta-feira, 3 de junho. O transporte municipal também foi suspenso por decisão da prefeitura. Relembre: Campina Grande (PB) suspende comércio e transporte público por 5 dias

O comunicado de que os ônibus não vão operar partiu do superintendente de Trânsito e Transportes Públicos de Campina Grande (STTP), Félix Araújo Neto, que convocou uma reunião com o Sindicato das empresas para a tarde de hoje, quando o assunto será discutido.

A queda no número de passageiros durante a pandemia é o principal motivo. A média de usuários teria sido reduzida de 100 mil para 22 mil por dia.

No ofício, os Consórcios Santa Maria e Santa Verônica, que atuam na cidade, afirmam que “o desentendimento e a falta de apoio entre a Administração e as Empresas Concessionárias nesse momento crítico da grave crise causado pelo Coronavírus, sem qualquer plano de sustentabilidade e reequilíbrio das Concessões, prenuncia a quebra das Empresas Concessionárias a paralisação da atividade”.

sistrans


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Marilene de lima disse:

    Sim;mas por lei tem que ter uma prestação de serviço de 30% da frota,como fica os trabalhadores?

Deixe uma resposta