Rio de Janeiro suspende último reajuste das tarifas dos táxis

Publicado em: 27 de maio de 2020

Com a medida, motoristas não vão precisar pagar atualização do taxímetro

JESSICA MARQUES

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria Municipal de Transportes, informou que suspendeu o último reajuste das tarifas do táxi, concedido em dezembro de 2019.

O objetivo da medida, conforme informado em nota, é evitar que os taxistas tenham gastos com a atualização do taxímetro, gerando uma economia de R$ 200 a R$ 250 para cada motorista.

Assim, nos táxis convencionais, a bandeirada volta a ser R$ 5,80; o quilômetro rodado na bandeira 1 voltará a ser R 2,60, e na bandeira 2, R$ 3,12.

Em relação à hora parada ou espera, o valor retorna para R$ 32,76; e a tarifa de volume transportado fica em R$ 2,60. No caso dos táxis executivos, o valor da bandeirada permanece R$ 7,30 (não foi reajustado); e a tarifa por quilômetro rodado volta a ser R$ 4,55.

O valor da hora parada ou de espera retorna para R$ 57,33, e a tarifa de volume transportado volta a custar R$ 2,60.

PERDAS FINANCEIRAS

De acordo com a Prefeitura, a nova medida leva em consideração as perdas financeiras que os taxistas tiveram durante a pandemia, com a redução brusca de viagens e, consequentemente, da receita.

“Os valores reajustados estavam em vigor desde o fim do ano passado, a partir da tabela afixada no vidro lateral esquerdo traseiro dos veículos, que, inclusive, deve ser retirada a partir de agora. Sendo assim, os motoristas da classe não vão precisar desembolsar a taxa para atualizar o taxímetro.”

Além disso, a Prefeitura listou outras medidas anunciadas durante a crise do novo coronavírus para os taxistas. Confira:

– aumento do prazo para o pagamento de taxas devidas pelos permissionários;

– suspensão de vistorias enquanto perdurar o estado de calamidade na cidade, inclusive para encerramento das permutas, transferências, inclusão de veículos e novas autonomias; o aumento do prazo de 180 para 540 dias para os auxiliares darem entrada no processo de obtenção de autonomia, e de 360 para 720 dias o prazo para apresentarem o veículo;

– o aumento da vida útil dos táxis convencionais de 8 para 10 anos e dos táxis executivos de 7 para 9 anos. Esta última medida vai beneficiar mais de mil taxistas que já teriam que trocar de veículo, neste ano, por vida útil vencida.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Roberto Gomes disse:

    Bom dia entendi que não vamos mais reajustar o relógio no relojoeiro, mais e a taxa que está sendo emitida do Ipem com valor de 53,00 essa tem que pagar?
    pois está sendo emitida e pedem para que marquemos a data tem vencimento e aí temos que pagar e ir ao Ipem fazer vistoria?

  2. Roberto Gomes disse:

    já emiti a guia e agendei vistoria tem até tabela meu final placa e 4 e aí o que faço?

Deixe uma resposta