Prefeito de Florianópolis cogita reabrir transporte em junho após bons números no enfrentamento da Covid-19

Publicado em: 23 de maio de 2020

Gean Loureiro fez a declaração em Live no Facebook na tarde desta sexta-feira, 22

ALEXANDRE PELEGI

Em uma Live no Facebook na tarde desta sexta-feira, 22, o prefeito de Florianópolis comemorou os números positivos colhidos pela estratégia adotada até aqui pela prefeitura no combate à disseminação do coronavírus na cidade.

Nas últimas 4 semanas, nós tivemos uma redução do número de pessoas doentes, ou seja, tivemos menos casos do que pessoas recuperadas”, afirmou o prefeito.

Ele lançou uma plataforma para acesso aos dados da Covid-19 em tempo real, chamada de Covidômetro. Pelos dados, a cidade vem conseguindo vencer a batalha contra o vírus, e nesta semana os dados demonstraram isso. A situação atual, segundo a plataforma, é de “Risco Moderado”.

O prefeito de Florianópolis ponderou que a cidade ainda tem três passos importantes a dar com a melhora dos números no enfrentamento da pandemia. “Se esses números continuarem melhorando, temos condições de avaliar a retomada do transporte coletivo, a liberação das aulas, e a reativação dos eventos”.

Quando que pode o transporte coletivo estar em condições?”, perguntou o prefeito, para na sequência ele mesmo responder: “a gente analisa todas as informações e dados de inteligência e saúde, reunidos nesta semana, e identificamos que se permanecermos por mais uma semana com os números positivos, e com a redução que nós temos de casos suspeitos, de casos identificados, a nossa equipe técnica apontou que podemos liberar o transporte coletivo a partir de 1º de junho, que é na outra segunda-feira”.

A plataforma Covidômetro, instalada na página da prefeitura (ou pelo link http://covidometrofloripa.com.br), traz uma aba de “Informações em tempo real”. Além das informações básicas de casos confirmados e óbitos, por exemplo, o usuário terá acesso ao número de casos descartados; em análise; recuperados; internados; gráficos de porcentagem aceleração das notificações emitidas e dos casos confirmados, bem como os gráficos comparativos dos mesmos; casos confirmados por região e bairros; além de mostrar as datas do aparecimento dos primeiros sintomas e atividades econômicas que estão em funcionamento e as que estão fechadas.

Estamos vencendo batalhas, mas ainda não vencemos a guerra. Se afrouxarmos as medidas, a contaminação pode vir com força total e causar óbitos e colapso no sistema se saúde. Ainda não é o momento para aglomerações e festas. Peço a colaboração de todos para continuarmos tendo bons resultados. Se puder, fique em casa”, concluiu Gean.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta