Com volta de rodízio comum, Bruno Covas cancela exceções a categorias profissionais e tipos de veículos

Publicado em: 18 de maio de 2020

Frota de ônibus continua com o reforço de 1,6 mil veículos, diz SPTrans

Serão mantidas apenas as isenções que já eram previstas antes da pandemia

ADAMO BAZANI

Os profissionais e veículos que estavam isentos do rodízio especial mais severo, que vigorou somente na semana passada, perdem o direito de liberação das multas. Somente serão mantidas as isenções já previstas no rodízio comum que vigorava antes da pandemia da Covid-19.

Como mostrou o Diário do Transporte, nesta segunda-feira, 18 de maio de 2020, volta o rodízio comum, restringindo apenas dois finais de placas das 7h às 10h e das 17h às 20h.

Na entrevista coletiva deste domingo, 17, e no próprio decreto, Covas reconheceu que o rodízio ampliado não foi capaz de aumentar os índices de isolamento social necessário para evitar um crescimento ainda maior do número de casos e sobrecarregar os hospitais que já estão perto do limite, uma vez que não há vacinas e remédios comprovados seguramente contra o novo coronavírus, nem a hidroxicloroquina propagandeada por leigos e alguns políticos, mas vista ainda com ressalva pelos especialistas em Saúde.

“CONSIDERANDO que a implantação do rodízio emergencial de veículos adotado pelo Decreto nº 59.403, de 7 de maio de 2020 foi importante porque tirou de circulação mais de 1 milhão de cidadãos paulistanos, entretanto os índices de isolamento ainda não alcançaram o patamar recomendado pelas autoridades da saúde”, diz parte do decreto que estipulou a volta do rodízio comum.

Na mesma edição extra do Diário Oficial da Cidade de São Paulo, a SMT – Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes revogou a portaria nº 077, de 17 de março de 2020; que estipulava o rodízio ampliado e a portaria 093, de 08 de maio de 2020, que estipulou os critérios para as isenções especiais.

Quem foi multado na semana passada pelo rodízio ampliado e não tinha direito a isenção não vai ser perdoado e vai ter de pagar.

Com a volta do rodízio comum, as restrições de circulação voltam a ser somente nas vias do centro expandido da cidade e não mais em todas as vias como era no rodízio ampliado.

RODÍZIO

O rodízio como foi empregado na semana passada foi encerrado e, nesta segunda-feira, 18 de maio, retorna como era antes da pandemia, com a proibição da circulação de veículos com dois finais de placas por dia, em horários de pico da manhã e da tarde (das 7h às 10h e das 17h às 20h), com a seguinte restrição:

Segunda-Feira: carros com placas finais 1 e 2;
Terça-Feira: carros com placas finais 3 e 4;
Quarta-Feira: carros com placas finais 5 e 6;
Quinta-Feira: carros com placas finais 7 e 8;
Sexta-Feira: carros com placas finais 9 e 0.

ÔNIBUS

Mesmo com o fim do rodízio estendido anunciado pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas, a SPTrans informou ao Diário do Transporte que manterá o reforço na frota de ônibus da capital paulista.

Desta forma, permanecem os mil ônibus em circulação colocados na segunda-feira, 11 de maio de 2020, junto a outros 600 veículos que ficam em bolsões distribuídos em áreas estratégicas da cidade.

Com o novo reforço, a frota nas ruas chegoua 65,5% de um dia útil, enquanto o número de passageiros registrado em 07 de maio foi de 31%, de acordo com a SPTrans.

Os ônibus adicionais foram distribuídos em 469 linhas de todas as regiões da cidade, além de terminais e estações de trem e metrô, que foram definidos após uma análise de oferta e demanda realizada pelos técnicos de campo da SPTrans, verificando índices de ocupação de linhas”, informou a SPTrans, em nota.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta