Ex-secretário de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, é escolhido pelo PT para candidato à prefeitura

Publicado em: 16 de maio de 2020

Jilmar Tatto em entrevista ao repórter Adamo Bazani na época que tentou licitar o sistema de ônibus na gestão Haddad

Outa opção era Alexandre Padilha. Tatto esteve à frente da implantação do Bilhete Único de São Paulo e de faixas de ônibus. Ligação com cooperativas de transportes de São Paulo também é outra marca atribuída ao político

ADAMO BAZANI

Por meio de votação virtual, o PT de São Paulo escolheu neste sábado, 16 de maio de 2020, o ex-deputado federal e ex-secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, 54 anos, para ser o candidato do partido à prefeitura.

A outra opção era o deputado federal e ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha.

Tatto recebeu 312 votos contra 297 de Padilha.

O nome ainda precisa ser confirmado em convenção do partido.

A data das eleições municipais ainda é uma dúvida por causa das incertezas sobre o avanço da Covid-19 no Brasil.

A votação aperta pode indicar que os dois nomes não agradaram os partidários que ficaram divididos. Houve ainda um voto em branco.

Em uma rede social, Tatto disse que um dos seus objetivos é combater a extrema direita de São Paulo.

“Agradeço de coração todo o apoio e carinho de todos e todas. Vamos junto com o companheiro Jilmar Tatto unir a esquerda e combater a extrema direita em São Paulo. Prossigo como deputado federal na luta e em apoio a todos nossos candidatos de SP e do Brasil”, postou

MARCAS E POLÊMICAS:

Jilmar Tatto conseguiu a façanha de ser secretário de Transportes da maior cidade da América Latina em duas gestões, sempre pelo PT.

Inicialmente no governo municipal de Marta Suplicy (hoje no SD – Solidariedade) e na gestão de Fernando Haddad (PT).

Quando era secretário de Marta, esteve à frente do início dos novos contratos que reorganizaram o sistema de ônibus em 2003 (Interligado), da implantação de corredores exclusivos e do Bilhete Único.

Já na gestão de Haddad, não conseguiu fazer a nova licitação dos transportes, mas esteve à frente da implantação das faixas de ônibus, que tiveram aprovação de 90% dos paulistanos, e das ciclovias, criticadas pela forma como foram implantadas e que dividiram opiniões.

A liberação de táxis em faixas de ônibus também causou contestações.

Quando se fala em família Tatto, no setor de transportes, a recordação de muitos é sobre uma ligação com perueiros que depois se organizaram em cooperativas de transportes. Para a licitação dos ônibus concluída pelo atual prefeito Bruno Covas, em setembro de 2019, estas cooperativas foram transformadas em empresas, mesmo que algumas só no nome.

Tatto sempre negou qualquer tipo de ligação com as cooperativas e alegou que, junto com Marta, conseguiu acabar com as peruas e ônibus clandestinos.

O político chegou a ser candidato pelo PT ao Senado em 2018, mas terminou apenas em sétimo lugar com 6% dos votos.

Relembre uma entrevista de Jilmar Tatto durante a tentativa de licitação dos ônibus na gestão Haddad:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Em respeito à DT, nem comento….

  2. Antonio disse:

    Opa, candidato perfeito !!! Mais um do PT para levar pau na eleição!

Deixe uma resposta