Após aumento no uso, Curitiba vai suspender cartão-transporte estudante

Publicado em: 15 de maio de 2020

Média semanal de passageiros idosos no sistema também aumentou de 11 mil para 18 mil. Foto: Divulgação.

Medida foi anunciada pela Urbs nesta sexta-feira, 15

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Curitiba, no Paraná, informou por meio de nota que a Urbs (Urbanização de Curitiba) vai suspender a validade do cartão-transporte estudante até a volta das aulas presenciais nas escolas.

A empresa, que administra o transporte coletivo na cidade, detectou um aumento no uso do cartão estudante nas últimas semanas, mesmo com as aulas presenciais suspensas. Por esse motivo, será feita a suspensão. Ao todo são 7,8 mil passes escolares ativos na capital.

Na quarta-feira, 13, 400 estudantes utilizaram o cartão no sistema de transporte coletivo. Em 13 de abril, esse número estava em 296 estudantes. A média de estudante usando os ônibus da cidade passou de 288 para 400.

“Não se justifica essa movimentação, já que as aulas estão sendo realizadas on-line.O cartão estudante é exclusivo para deslocamento para a escola. Vamos suspender a validade até a volta das aulas para evitar que esses estudantes contribuam para a aglomeração nos ônibus e corram o risco de contrair a Covid-19 “, disse o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

AULAS

As aulas presenciais em Curitiba foram suspensas em escolas e universidades para evitar a transmissão do novo coronavírus. Em março, dois decretos do governo estadual (4.230 e 4.258) suspenderam as aulas presenciais nas escolas públicas e privadas no Estado. Nas escolas municipais, a suspensão começou em 23 de março.

“O passe escolar é voltado para alunos matriculados em escolas de ensino regular fundamental, médio, técnico ou superior, residentes e estudantes em Curitiba. Aos alunos cadastrados, permite uma redução de 50% no valor da tarifa, com o direito a dois vales diários”, informou a Urbs, em nota.

IDOSOS FURAM ISOLAMENTO

A Urbs informou ainda que vem reforçando o apelo para a população fique em casa e só saia em caso de necessidade. Idosos são outro grupo que tem gerado preocupação, com o aumento do fluxo de pessoas com mais de 65 anos nos ônibus da capital.

“A população idosa é considerada grupo de risco para a Covid-19, mas muitos estão furando o isolamento e voltaram a pegar ônibus. Na quarta-feira (13/5), 16,7 mil idosos usaram o transporte coletivo. A média semanal de passageiros idosos no sistema, que estava em 11 mil há um mês, hoje está em 18 mil”, informou a Urbs, em nota.

“Estamos pedindo para que a população idosa fique em casa e só use o transporte coletivo em extrema necessidade e fora dos horários de pico. Queremos preservar a saúde dessa população e evitar a contaminação. Estamos monitorando o fluxo e se ele continuar aumentando podemos adotar medidas como limitar a gratuidade somente para horários fora do pico, como das 10h às 16h”, disse o presidente da Urbs.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta