Rodízio: Baldy fala em acompanhamento constante da demanda de passageiros e Doria diz que não há medidas definitivas nos transportes

Publicado em: 13 de maio de 2020

Doria com máscara em coletiva nesta quarta-feira, 13 de maio de 2020

Barbearias, salões de beleza e academia vão continuar sem funcionar, mesmo com decreto de Bolsonaro

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

O secretário dos Transportes Metropolitanos da gestão João Doria, Alexandre Baldy, disse no início da tarde desta sexta-feria, 13 de maio de 2020,  que foi necessário aumentar a quantidade de trens, ônibus da EMTU e Metrô por  causa da medida do prefeito Bruno Covas de endurecer o rodízio de veículos como forma de conter o avanço do novo coronavíus.

No caso da linha 11-Coral da CPTM, mesmo com 30% da demanda, nos horários de pico foi necessário colocar 100% da frota em circulação para evitar superlotação, segundo Baldy.

“É importante registrar que desde o inicio do rodízio pela prefeitura, o Governo do Estado tem determinado o aumento da oferta do numero de trens e ônibus para que consigamos dar suporte a população que usa o transporte em seu deslocamento.”

O governador João Doria afirmou que não há decisões definitivas e que todas as medidas devem ser reavaliadas ao responder uma pergunta sobre o rodízio nais rígido implantado pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas,, na mesma entrevista coletiva.

Doria evitou criticas diretas ao rodízio, que já tinha sido contestado pelo seu secretário estadual de transportes metropolitanos, Alexandre Baldy.

“O nosso entendimento é que tudo deve ser avaliado permanentemente. Nenhuma decisão, sobretudo de logística e transporte, deve ser definitiva se houver circunstâncias que obriguem e motivem a avaliação que eventualmente gere mudanças se necessário for. Eu prefiro que o próprio prefeito se manifeste, ele tem repetidas vezes dito que não tem compromisso com o erro, e que tem compromisso com o acerto, com medidas protetivas adequadas e corretas, e tem agido dessa forma, juntamente com seu secretário municipal de transportes, Edson Caram, e a nossa relação de confiança com o prefeito Bruno Covas segue mantida, intacta. Eu tenho certeza que o prefeito Bruno Covas e secretário Edson Caram terão amanhã [numa entrevista coletiva] condições de fazer uma avaliação completa dos impactos no trânsito e no transporte público sobre pneus, ou seja, os ônibus, e trilhos (trens e metrô), na absorção dessas pessoas que deixaram seus automóveis dentro de um programa de afastamento social que não agrave estes contatos, qualquer perspectiva de piora na contaminação ” 

BARBEARIAS:

As barbearias, salões de beleza e as academias não serão autorizadas a abrir no estado de São Paulo. Doria disse que a orientação foi da equipe da área de Saúde para evitar a propagação do novo coronavírus, causador da Covid-19

A medida ocorre mesmo com o decreto do presidente Jair Bolsonaro considerando estas atividades como essenciais.

Uma decisão do STF – Supremo Tribunal Federal dá autonomia a governadores e municípios criarem suas próprias restrições com base na análise do crescimento do número de casos, óbitos e na estrutura e lotação dos hospitais, em especial de UTIs.

Segundo o governador, até 31 de maio nenhuma alteração será feita na quarentena no Estado de São Paulo.

SAÚDE:

O Governo do Estado vai liberar a partir desta quinta-feria, 14, R$ 30 milhões para a implantação de 350 novos leitos na Baixada Santista, sendo 50 de UTI e 300 de enfermarias para cidades como Santos, Praia Grande e Itanhaém.

Também foi apresentada uma nova campanha de comunicação sobre o novo coronavirus,que começa nesta quarta-feira e  dura duas semanas, homenageando os profissionais da saúde.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, o estado tem  51.097 casos e 3-378 mortes.

O vice-governador Rodrigo Garcia disse que o Estado de São Paulo comprou 2.530 respiradores. A previsão é de que 1150 sejam entregues até 20 de maio e o restante na primeira semana de julho.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes e Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Márcio luiz de lima vi disse:

    Carro não transmite vírus covid, mas ônibus trem e metrô lotado transmite, qualquer ignorante sabe disso.

  2. Márcio luiz de lima vi disse:

    A antes do rodízio, as estações de trem e metrô não estavam tão cheias., Ninguém sai casa as 5 horas da manhã pra passear.

Deixe uma resposta