Pará é o estado com maior índice de isolamento do país

Publicado em: 13 de maio de 2020

Pará tem implantado em dez cidades o lockdown até o dia 17 de maio. Foto: Divulgação.

Últimos dados atualizados pelo Inloco no “Mapa Brasileiro da Covid”, aponta que a região Norte do Brasil tem os melhores números

WILLIAN MOREIRA

O Estado do Pará alcançou a marca de estado com maior índice de isolamento social do Brasil, chegando a 51,3% nesta segunda-feira, 11 de maio de 2020. Outros estados da Região Norte, Acre, Amapá e Amazonas apesar do colapso na saúde em Manaus, seguem atrás do estado paraense no ranking.

O Pará tem implantado em dez cidades o lockdown até o dia 17 de maio e apenas neste domingo, 10, 91 multas foram aplicadas por desobediência ao lockdown com 84 destas para pessoas e sete para pessoas jurídicas.

O Secretário de Segurança Pública do Pará, Ualame Machado, afirma que é possível notar um fluxo menor de pessoas nas ruas e agradece a população na colaboração e órgãos fiscalizadores do lockdown, mas Ualame pede que o empenho continue para que a marca de 70% de isolamento seja atingida.

“Na manhã de segunda-feira percebemos um fluxo bem menor do que os demais dias da semana. Historicamente, a segunda era um dia muito complicado de se controlar o isolamento social, porém nós verificamos que além da receptividade da população, as pessoas estão colaborando com o isolamento”, disse o secretário, em nota divulgada para a imprensa.

DADOS NACIONAIS

No Brasil, contando todos os estados sem dividir por região, após o Pará (51,3%), vem os estados do Amapá (50,4%), Ceará (50,3%), Maranhão (49,1%) e Amazonas (48,9%). Confira abaixo a relação completa.

WhatsApp Image 2020-05-12 at 14.48.56

Confira o ranking das cidades no Pará:

  • Belém (60,1%);
  • Ananindeua (57,7%);
  • Marituba (53,7%);
  • Benevides (55,3%);
  • Santa Bárbara (53,1%);
  • Santa Izabel (55,9%);
  • Castanhal (57,1%);
  • Santo Antônio do Tauá (62,6%);
  • Breves (63,2%);
  • Vigia (58,6%).

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta