Doria volta a falar em lockdown e secretária afirma que transportes serão um dos primeiros setores que passarão por alteração com volta gradual

Publicado em: 11 de maio de 2020

Doria ainda falou que quanto o foco é o combate à doença, mas sem deixar a economia de lado. A quarentena que continua hoje vai continuar mantendo os 74% das atividades econômicas, como construção civil, que “nunca parou e nem prendemos que pare”, prometeu Doria nesta segunda-feira, 11 de maio de 2020.

De acordo com Patrícia Ellen, do Desenvolvimento Econômico, haverá a publicação de uma série de protocolos sanitários de higiene e segurança

ADAMO BAZANI

O governador de São Paulo, João Doria, voltou a falar no início da tarde desta segunda-feira, 11 de maio de 2020, em entrevista coletiva, que não está descartada a possibilidade de um lockdown, mas que esta seria uma das últimas hipóteses caso o isolamento continue caindo e os casos e mortes registrarem crescimento, além da ocupação das UTIs continuar alta por causa da Covid-19

Segundo Doria, a ideia inicial, se caso for preciso um fechamento mais severo, é que seja regionalizado, de acordo com as áreas mais críticas em relação à doença.

Mas se houver condições de um retorno gradativo da economia no Estado de São Paulo, que será em ao menos quatro fases, o setor de transportes de passageiros está entre os primeiros a receber alterações.

A informação é da secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, na mesma coletiva,

Segundo a secretária, a flexibilização da economia só ocorrerá depois de São Paulo atingir índice de isolamento consecutivo de 55%, 14 dias seguidos com queda do número de casos e de mortes e com ocupação de UTI abaixo de 60%.

A prioridade na flexibilização será de acordo com a essencialidade dos serviços e a vulnerabilidade econômica de cada setor.

O transporte é uma atividade transversal, ou seja, que atende às outras atividades.

Segundo Ellen, devem ser editadas normas sanitárias para estes setores que devem voltar caso o avanço da doença reduza.

O governador de São Paulo João Doria, que a quarentena que continua hoje vai continuar mantendo os 74% das atividades econômicas, como construção civil, que “nunca parou e nem prendemos que pare”

“Quero deixar bem claro que o inimigo da economia não é a quarentena, é o vírus” – disse ainda Doria.

São 80 setores da economia que estão funcionando na quarentena com cuidados sanitários, segundo Doria e a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen

Entre estes setores estão abastecimento, alimentação (com delivery), indústria, saúde, transporte, logística, energia, serviços domésticos, por exemplo.

Segundo o Secretário da Fazenda, Henrique Meirelles, a queda na arrecadação do ICMS em relação ao ano passado foi de 19% no Estado.

Meirelles disse que a queda de 27% de queda do PIB não ocorrem apenas pela quarentena.

Uma parte desta queda é devido à crise econômica pela pandemia que causa a inadimplência.

O governador de São Paulo lembrou que exatamente há dois meses, em 10 de março de 2020, a OMS – Organização Mundial da Saúde decretou a existência da pandemia, que hoje é a maior causa de mortes no Brasil e no mundo, matando mais que outras doenças, como AVC , infarto e câncer, e que acidentes de trânsito e a violência urbana.

O Governo de São Paulo anunciou também que vai entregar dez mil cestas básicas para aldeias indígenas e comunidades carentes, todas produzidas por agricultores familiares e cooperativas de pequenos produtores do cinturão verde de São Paulo.

Foi anunciada também a doação de oito mil botijões de gás pelaa Ultragaz na região do Jardim Pantanal, na zona Leste de São Paulo. A Ultragaz doa 40 mil kg de gás todos os meses para hospitais de campanha da cidade de São Paulo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Adriano Marcos de Arruda disse:

    Não parar a construção cívil é bem cômodo para o governador visto que ele tem um empreendimento gigantesco em construção na região de Bauru,os trabalhadores deste setor correm os mesmos riscos que qualquer trabalhador de outros setores,só acredita nele quem quer.

  2. Antonio Carlos Seiler disse:

    Peço Perdão em ter votado em um governador incompetente e ditador comunista . Perdao

  3. Ly Zongar disse:

    Dória você me dá nojo. Faça um favor à população de SP: saia do governo.

  4. LUCIMAR MARTINS NOGUEIRA disse:

    Doria vc é um almofadinha Playboy hipócrita vc me da nojo peço desculpas a todos do estado de São Paulo por ter dado o meu voto nesse Merda.

  5. Rodnei De Jesus Rodrigues disse:

    Nojo e arependimento de votar num comunista nazicista que está desempregando chefes de família, proliferando a fome, mas pedágios estão abertos, impostos e salários de políticos inúteis iguais a ele estão a todo vapor, vc é tudo de ruím pra SP

  6. euclides paes junior disse:

    NÃO SERVE PRA GOVERNAR NEM CIDADE DO SIMCITY!!!!! É UM SEM NOÇÃO!!!

  7. Lucas Barreto disse:

    Doria e bruno covas são lixo!!

  8. Jefferson disse:

    Nunca vi essa falta de equilíbrio. Cancelar cirurgias de doenças que são mais graves que o Covid-19. Deixar o povo com fome, contudo, diminuindo a imunidade. Deixar sem exercício Físico que ajuda aumentar a imunidade. Entre outras coisas. Medidas sem equilíbrio, vai acontecer oq esta acontecendo: muitas mortes, não por covid19, mas com mais intensidade de outras doenças e fome.

Deixe uma resposta