Empresas de ônibus da Argentina implantam cabines de desinfecção para funcionários nas garagens e terminais

Publicado em: 9 de maio de 2020

Motoristas passam pro cabine de desinfecção. Foto: Divulgação

Iniciativa é de companhias que operam os transportes em La Plata, capital da província de Buenos Aires

ADAMO BAZANI

Motoristas e demais funcionários das empresas de ônibus que operam os transportes em La Plata, capital da província de Buenos Aires, passaram a contar com cabines de desinfecção em garagens e terminais.

A iniciativa é do grupo formado pelas empresas Unión Platense, Transportes La Unión e Expreso La Plata para proteger os trabalhadores e indiretamente os passageiros da Covid-19.

Diferentemente do que ocorre no Brasil, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, tem sido mais criterioso com a Covid-19.

Atualmente, de acordo com o monitoramento global da OMS – Organização Mundial de Saúde, o país vizinho do Brasil tem uma das menores taxas de mortalidade do mundo.

“A taxa de mortalidade no país é de seis mortes para cada milhão de habitantes. Comparado com o resto do mundo, não estamos mal e a quarentena faz sentido”, declarou o presidente nesta sexta-feira, 08 de maio de 2020, segundo agências internacionais.

O presidente anunciou a prorrogação da quarentena para 24 de maio de 2020.

A Argentina tinha até a manhã deste sábado, 09, um total de 5.598 casos confirmados e 293 óbitos.

As cabines de desinfecção das empresas de ônibus possibilitam uma vaporização de produtos especiais, não alérgicos, que são capazes de matar o novo coronavírus que eventualmente possam estar em roupas, óculos e aparelhos móveis.

Além disso, as empresas de ônibus de La Plata dizem seguir outras normais sanitárias, como desinfeção várias vezes ao dia dos coletivos, medição da temperatura dos funcionários antes da jornada de trabalho, fornecimento de máscaras e álcool em gel.

As empresas também distribuem folhetos e colocam cartazes com dicas de prevenção para os passageiros.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta