Como Doria em SP, Witzel prorroga quarentena no Rio de Janeiro até 31 de maio

Publicado em: 9 de maio de 2020

Ônibus em Macaé. Sistema de transportes estão com restrições. Foto: Arquivo

Restrições a transportes intermunicipais e interestaduais em vigor permanecem. Estado possui a maior taxa de letalidade do Brasil

ADAMO BAZANI

O crescimento dos casos e mortes pela Covid-19 no Estado do Rio de Janeiro fizeram com que o Governador Wilson Witzel decidisse pela prorrogação da “quarentena” até o dia 31 de maio de 2020.

De acordo com a imprensa local, o decreto com a prorrogação vai ser publicado nesta segunda-feira, 11 de maio, quando terminaria o prazo anterior.

Assim, devem ser mantidas as restrições vigentes quanto às atividades não essenciais e aos transportes interestaduais e intermunicipais. Em trens, barcas e ônibus que ligam cidades diferentes no Estado, por exemplo, só podem embarcar trabalhadores com documento de autorização ou passageiros que comprovem a necessidade de deslocamento, como ida ao hospital.

Não está descartada a possibilidade de na segunda-feira serem publicadas regras mais rígidas.

Nesta sexta-feira, em entrevista coletiva, o governador de São Paulo, João Doria, anunciou prorrogação das medidas de isolamento em todo o Estado até o dia 31 de maio também, como mostrou o Diário do Transporte:

https://diariodotransporte.com.br/2020/05/08/quarentena-e-prorrogada-ate-31-de-maio-em-sao-paulo-lockdown-nao-esta-descartado/

Os dois Estados estão entre os que possuem o maior número de infectados e mortos pela Covid-19 e a maior taxa de mortalidade.

Até esta sexta-feira, 08, de acordo com o Ministério da Saúde, no Rio de Janeiro, a taxa de letalidade era de 9,09% e, em São Paulo, de 8,25%.

No Rio de Janeiro, também até sexta-feira, foram registrados 15.741 casos e 1.503 mortes.

Em São Paulo, foram 41.830 casos e 3.416 óbitos até sexta-feira, 08 de maio.

Até a mesma data, o Brasil todo registrava 145.328 casos confirmados e 9.897 óbitos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta